2W COMEMORA A MARCA DE R$ 1 BILHÃO EM CONTRATOS COM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NO MERCADO LIVRE DE ENERGIA

CLAUDIOCom pouco mais de um ano atuando no varejo, a 2W Energia chega à marca de R$ 1 bilhão em contratos fechados com pequenas e médias empresas para fornecimento no mercado livre. Os contratos possuem prazos de 7,4 anos em média e demonstram a consistência da empresa na liderança de migrações do varejo para o ambiente de contratação livre. A 2W passou a negociar no segmento varejo no final de 2020, flexibilizando sua estratégia de comercialização entre os segmentos atacado e varejo e dispondo de uma rede de consultores de energia que já chegou a mais de 1.500 representantes em todos os Estados do país, a maior do setor. Esses consultores levam às empresas o acesso energia limpa, com eficiência e menor custo, por meio da negociação no ambiente de contratação livre.

As grandes consumidoras de energia têm acesso aos benefícios do mercado livre há mais de uma década. Para nós, este marco de R1 bilhão de contratos fechados no varejo representa que estamos no caminho certo em nosso propósito de transformar a relação da sociedade com a energia, pois estamos levando a liberdade de escolha e o poder de decisão sobre seu fornecedor de energia para pequenos e médios empresários em todo país”, disse o CEO da 2W, Claudio Ribeiro. 

Para lembrar, a 2W possui dois parques eólicos em construção no Nordeste, com capacidade instalada de aproximadamente 400MW em energia, que serão destinados tanto ao segmento varejo como ao atacado. O primeiro parque da empresa, Anemus (RN) deve entrar em operação em setembro deste ano.

No ano passado, o número de novas migrações para o mercado livre registrou recorde no país, com mais de 1,2 mil novos entrantes, aumento de cerca de 15% em relação a 2020, segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). O ingresso de pequenas e médias empresas neste mercado teve importante participação neste aumento, em linha com a estratégia de comercialização flexível da 2W, que inclui também o segmento varejo.  A 2W acredita que podem migrar para o mercado livre empresas com ao menos 500kW de demanda contratada com a concessionária de energia. Supermercados, hotéis, instituições de ensino, hospitais e pequenas indústrias são exemplos para quem a migração é bastante vantajosa.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of