ALTO PREÇO DO GÁS NA EUROPA IMPÕE O FECHAMENTO DE SIDERÚRGICAS DE VÁRIAS EMPRESAS, COM GRAVES DANOS PARA O MERCADO DO AÇO | Petronotícias





ALTO PREÇO DO GÁS NA EUROPA IMPÕE O FECHAMENTO DE SIDERÚRGICAS DE VÁRIAS EMPRESAS, COM GRAVES DANOS PARA O MERCADO DO AÇO

arcelorO fechamento das torneiras de gás para a Europa determinado pelo governo russo está sacudindo a Europa pelo pescoço e deixando sua economia com olho roxo. Os reflexos na indústria do aço são imensos. A ArcelorMittal, a maior siderúrgica da Alemanha, já determinou o fechamento de seus altos fornos, com consequências graves para a companhia. Além da Alemanha, a empresa parou a produção de sua siderúrgica em Warzawa, na Polônia; Na Espanha, nas Astúrias, a empresa irá parar dois altos fornos no fim de setembro. Outras empresas também sentem o mesmo problema em outros países, como a Liberty Steel, da República Checa. Ela parou um de seus dois altos fornos; A mesma coisa aconteceu com a United States Steel Kosive, da Eslováquia, também parou um de seus dois altos fornos; Na Sérvia, o Grupo HBIS  deu a mesma ordem e parou um de seus dois altos fornos. Na Itália, a Acciare d’Italia, a Ferriere Nord e a Arvedi pararam totalmente  as suas produções.

Reiner Blaschek (foto principal), CEO da ArcelorMittal Alemanha, e também responsável pela fábrica de Bremen, disse que o aumento exorbitante dos preços da energia está a ter um enorme impacto na competitividade da produção de aço. “Isso é agravado pela fraca demanda do mercado e perspectivas econômicas negativas, bem como os altos custos de CO2 na produção de aço, que torna ineficazes as medidas de salvaguarda da União Europeia”, declarou.

A ArcelorMittal está assumindo as consequências na Alemanha, pois nem todos os ativos podem ser operados economicamente. A partir do final de setembro, obremen grupo fechará um dos dois altos-fornos de aço plano de Bremen até novo aviso. Na planta de aços longos de Hamburgo, onde a ArcelorMittal produz fio-máquina de qualidade, a planta de redução direta também será desativada no quarto trimestre devido à situação atual e às perspectivas negativas.

 O trabalho de curta duração também já está sendo aplicado nos locais de produção em Duisburg e Eisenhüttenstadt devido à situação tensa. Os altos custos do gás e da eletricidade estão pressionando fortemente a competitividade da companhia.  Além disso, a partir de outubro, haverá o imposto sobre o gás planejado pelo governo alemão, o que  sobrecarregará a empresa  ainda mais.

uwoComo uma indústria de uso intensivo de energia, somos extremamente afetado por isso. Com um aumento de dez vezes nos preços do gás e da eletricidade, que tivemos que aceitar em poucos meses, deixamos de ser competitivos em um mercado que é 25% abastecido por importações. Vemos uma necessidade urgente de ação política para controlar os preços da energia imediatamente”, declarou Reiner Blaschek.

Uwe Braun (foto à esquerda), CEO da ArcelorMittal Hamburgo, afirmou: “Já reduzimos o consumo de gás de forma muito significativa. Entre outras coisas, compramos o precursor esponja de ferro externamente da América, para o qual teríamos usado gás natural em local. A fábrica já reduziu as operações em cerca de 80%. O preço extremo aumento de gás e eletricidade nos impossibilita de continuar a operar lucrativamente”, acrescentou.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of