A GRAVE CRISE DA ELETRONUCLEAR E INB É LEVADA AO PRESIDENTE DA CÂMARA QUE PROMETE AJUDA PARA UMA SOLUÇÃO

WSSSWAs dificuldades financeiras que a Eletronuclear e a INB – Indústria Nuclear Brasileira –  estão passando, está botando em risco a geração nuclear de energia no Brasil. O panorama toma contornos ainda mais graves devido ao  corte no orçamento da INB, o que inviabiliza a produção plena de combustível nuclear. A consequência disso é a parada obrigatória das operações das usinas Angra 1 e Angra 2.  No caso da Eletronuclear, em função de ser obrigada a pagar mais de RS$ 30 milhões mensais de juros ao BNDES, a empresa pode até ficar inviabilizada de funcionar. E a tendência é piorar se não houver uma solução imediata. Esses foram os temas da conversa que o atual presidente da Companhia, Leonam Guimarães, teve com o Presidente da Câmara, Deputado Rodrigo Maia, em Brasília.

Leonam Guimarães mostrou que com a paralisação das obras de Angra 3, a Eletronuclear passou a sofrer um desequilíbrio econômico-financeiro insuportável. As usinas Angra 1 e 2 são superavitárias, porém, estão com a saúde financeira prejudicada em razão deste problema.  A empresa fez um empréstimo com o BNDES e o pagamento dos juros da transação está impactando em 12% no faturamento bruto da companhia. Além disso, está inadimplente com a INB, que fornece o combustível para as usinas Angra 1 e 2 gerarem energia. Sem o combustível, as usinas vão parar, agravando ainda mais a situação energética do país.SDSDD

Levado pela frente parlamentar  formada por deputados federais do Rio Janeiro, entre eles, Wilson Bezerra, Soraya Santos, Laura Carneiro,  Pedro Paulo, Luiz Sérgio, Celso Pansera e Áureo Lídio,   Leonam Guimarães foi  pedir apoio   para que sejam equacionadas as obras de Angra 3 de imediato e que, ao mesmo tempo, haja a suspensão do pagamento dos juros  para o BNDES. Essa suspensão seria temporária, caso contrário, o resultado será um processo de falência da Eletronuclear, empresa importantíssima para o desenvolvimento do Estado do Rio e para os municípios da região da Costa Verde.

QAQAO fechamento da empresa representaria   um colapso em toda a região, já que a Eletronuclear é uma fonte vital de contribuição em termos de arrecadação para o Estado do Rio e  para esses municípios. A ABDAN, presidida por Celso Cunha, está mobilizando a Assembleia Legislativa para o problema e  fazendo gestões junto ao Ministério das Minas e Energia. O Deputado Wilson Bezerra está mobilizando a bancada fluminense na Câmara Federal e tem um encontro com o Presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro,  para passar a realidade do problema e as graves consequências que elas podem representar, caso o banco não suspensa temporariamente a obrigatoriedade pelo pagamentos dos juros do empréstimo. O Governador Luiz Fernando Pezão e o Chefe da Casa Civil, do Rio de Janeiro,  Christino Áureo, também estão envolvidos na busca de uma solução para a Eletronuclear, apoiando todas as iniciativas.

O relator da Lei Orçamentária Anual, Deputado Cacá Leão, está acompanhando de perto a situação, que também precisa do envolvimento da CNPE,  que precisa colocar em pauta a energia nuclear como uma matriz de geração de energia firme e limpa. A falta de recursos da empresa já está impactando negativamente  também a economia dos municípios da Costa Verde, especialmente  Paraty, Rio Claro e Angra dos  Reis, com quem a Eletronuclear tem uma série de contrapartidas. Há reflexos também no índice de empregos dessas cidades, além da queda de investimentos e o pagamentos dos  impostos municipais.

Deixe seu comentário

4 Comentários em "A GRAVE CRISE DA ELETRONUCLEAR E INB É LEVADA AO PRESIDENTE DA CÂMARA QUE PROMETE AJUDA PARA UMA SOLUÇÃO"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
Yan Dantas
Visitante

A minha principal pergunta quando comecei a ler foi “Como chegou a esse ponto?”.

trackback

[…] da Câmara que promete ajuda para uma solução . Petronotícias. [Online] 13 de novembro de 2017. https://petronoticias.com.br/archives/105361 […]