COM TRÊS USINAS NUCLEARES OPERANDO E PROGRAMANDO CONSTRUIR MAIS DUAS, ARGENTINA FAZ ACORDO PARA PRODUZIR URÂNIO

gA Argentina e a Rússia assinaram um memorando de entendimento para impulsionar a exploração e produção de urânio no país sul-americano que pode incluir 250 milhões de dólares em investimentos. O acordo foi selado durante uma visita do presidente argentino Mauricio Macri a Moscou. Assinaram o documento o ministro de Relações Exteriores, Jorge Faurie, o presidente executivo da russa Uranium One Group, uma subsidiária da Rosatom,  e o presidente da UrAmerica, com sede em Londres, que explora urânio na Argentina e no Paraguai. A Argentina tem buscado impulsionar a geração de energia nuclear, que depende do urânio, para reduzir seu déficit energético. Em um comunicado conjunto com Macri, o presidente russo Vladimir Putin disse que a estatal nuclear russa Rosatom propôs a construção de uma usina nuclear na Argentina.

A Argentina já gera 5 % de sua eletricidade com três reatores nucleares, e o país tem planos de começar a construção de dois novos reatores no segundo semestre deste ano, a um custo de 13 bilhões de dólares. A maior parte do valor deve ser financiada por organizações chinesas. O ministro de Relações Exteriores argentino disse em comunicado que o objetivo do acordo assinado nesta terça-feira é alcançar autossuficiência em urânio.

1
Deixe seu comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
trackback

[…] assinado é fruto de várias negociações entre os dois países, que, desde janeiro de 2018, vinham elaborando um memorando de entendimento para impulsionar a exploração e produção de urân…, o qual pode incluir 250 milhões de dólares em investimentos, proporcionando, assim, à […]