ACORDO ENTRE A ROSATOM E A ARGENTINA PREVÊ USO DE ALTA TECNOLOGIA NA EXPLORAÇÃO DO URÂNIO

ddDesde que foi assinado o acordo entre a Rússia e a Argentina há alguns dias, muitos detalhes do acordo para desenvolvimento de tecnologias de mineração de urânio não ficaram muito claros. A Uranium One, uma empresa internacional de mineração da Rosatom, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva da Argentina e a UrAmerica Argentina assinaram um Memorando de Entendimento no campo do desenvolvimento de tecnologias de mineração do urânio de última geração na Argentina. O Memorando confirmou o interesse do lado argentino no desenvolvimento da tecnologia mais eficiente aplicada à produção do mineral  em parceria com a Uranium One e também uma cooperação mútua neste campo.

O Ministro da Ciência argentino, Lino Barañao, PhD em Química, disse que:  “A cooperação com a Rosatom elevará a mineração de urânio no país a um novo nível. A Argentina fortalecerá seu posicionamento como líder em tecnologias nucleares na região, enquanto os projetos ISR promoverão o desenvolvimento da tecnologia industrial e aumentarão e reforçarão a cooperação entre a Argentina e a Rússia. Isso se enquadra no conceito de mineração inteligente, que utiliza tecnologia de ponta, levando a um gerenciamento eficiente do processo produtivo”.

O Presidente do Uranium One Group, Vasily Konstantinov afirmou que  “A assinatura do Memorando abre novas oportunidades na América Latina para nós. O documento estabelece as bases para uma cooperação bem sucedida com nossos parceiros na Argentina, expandindo a geografia do negócio de mineração de urânio da empresa”.

Omar Adra, Presidente da UrAmerica Argentina ficou muito satisfeito com o acordo:  “Estou orgulhoso de que a UrAmerica seja parte deste Memorando, o que significa um importante avanço científico para a Argentina e seu desenvolvimento nuclear local”.

Ao contrário do método de extração tradicional, que  extrai o minério do subsolo, quebrando o processameto,  com a ISR o minério de urânio permanece no lugar. O reagente é bombeado através do minério através do sistema de poços, seguido da extração da solução contendo urânio para a superfície, onde posteriormente é processado para obter o produto final, o bolo amarelo ou o octoxido de triurânio. Ao usar a ISR, a superfície permanece quase intacta, não há rejeitos ou rocha residual e a condição da água subterrânea retorna ao seu estado inicial. Este método é muito mais economicamente eficiente e ambientalmente preferido em comparação com o método de mineração de urânio a céu aberto ou subterrâneo.

Deixe seu comentário

2 Comentários em "ACORDO ENTRE A ROSATOM E A ARGENTINA PREVÊ USO DE ALTA TECNOLOGIA NA EXPLORAÇÃO DO URÂNIO"

avatar
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Olga
Visitante
Hello, I strongly urge you not to spread these lies about “the most economically efficient and environmentally preferable way” of in situ leaching with sulphuric acid compared with deep mining. Neither uranium mining is ok. About the monstrous impact of ISL in Stráž pod Ralskem, the Czech Republic, where Russians (Russians play their role here again, what a coincidence) started ISL after WWII (importing Czech uranium for little money if any in exchange, basically, they were stealing it, let’s say it fully now, because in those post-war days, things were interpreted differently). Some info on Czech ISL in English: http://www.wise-uranium.org/udeur.html#STRAZISL… Read more »