MATO GROSSO DO SUL FAZ UM ESFORÇO PARA TER GÁS BOLIVIANO ABASTECENDO O ESTADO

O presidente da Fedethumbnail-foto-2ração das Indústrias do mato Grosso do Sul, Sérgio Longen, está em conversações com o vice-ministro de Industrialização e Comercialização da Bolívia, Humberto Salinas, e o diretor-presidente da MS Gás, Rudel Trindade, para tratar sobre a comercialização do GLP boliviano em Mato Grosso do Sul. Na avaliação de Sérgio Longen, o botijão de gás de cozinha importado da Bolívia vai trazer uma grande economia para o setor industrial do Estado:  “Atualmente, já se consegue fertilizantes fabricados na Bolívia com preços bem mais competitivos que os nacionais. Por isso, somos a favor que agora seja liberada a importação do GLP boliviano, que seria revendido no Estado a R$ 12,00 o botijão, enquanto o nacional já está sendo comercializado na faixa de até R$ 80,00”.

Para o vice-ministro Humberto Salinas, o GLP e o gás natural boliviano podem aquecer a produção da indústria de Mato Grosso do Sul e a Bolívia pode colaborar com esse desenvolvimento:  “Fizemos contato com a Copagaz para poder conversar sobre a possibilidade de extrair GLP da Bolívia. A expectativa é muito boa porque temos o produto para entregar para o mercado consumidor brasileiro, que está interessado”.

Já o diretor-presidente da MS Gás, Rudel Trindade, adiantou que foi marcada uma agenda para verificar a demanda, necessidades e legislações com relação ao GLP boliviano e que em breve terá uma reunião com o presidente da Fiems, Sérgio Longen, representantes das empresas de GLP em Mato Grosso do Sul e do Governo do Estado em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia:

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of