OCYAN FOCARÁ NO MERCADO DE FPSOS E BUSCA INTERNACIONALIZAÇÃO DE NEGÓCIOS

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) –

Roberto Simões_inteiraUm ano de recomeço. A Ocyan, antiga Odebrecht Óleo e Gás, ganhou não apenas marca e nome novos, mas também planos e metas para conquistar mais negócios daqui para frente. Depois da entrada em operação do navio-plataforma Pioneiro de Libra, um de seus principais projetos, a companhia terá foco em operar os seus ativos no Brasil. Aliás, o mercado de FPSOs será prioridade para a empresa a partir de agora, de acordo com o presidente da Ocyan, Roberto Simões. O executivo revela que, no momento, a companhia está olhando oportunidades de fechar novos contratos com petroleiras privadas do Brasil. E o mercado externo também está no radar de oportunidades. “A internacionalização e a diversificação da carteira de clientes também são metas que temos para o médio e longo prazos”, afirmou Simões.

Gostaria que o senhor detalhasse qual será o foco de atuação da empresa a partir de agora?

A empresa concluiu sua reestruturação financeira, o que representa um novo ciclo de sustentabilidade econômica. Tivemos ainda importantes conquistas, como a entrada em operação do FPSO Pioneiro de Libra. Diante destes marcos, acreditamos que seja o momento ideal para apresentarmos nossa nova marca, que reflete esse cenário promissor para a companhia. Nos tornamos uma empresa mais sólida, prestadora de serviços com excelência, com higidez financeira e estrutura de capital que permite um retorno atraente para o investimento dos acionistas. Com isso, nosso foco hoje é operar nossos ativos no Brasil com excelência e segurança.

Que tipos de serviços dentro do mercado de óleo e gás a empresa vai  buscar?

Uma das áreas que pretendemos priorizar é a de FPSOs, que tem excelentes perspectivas de crescimento.

Pode detalhar as ações que a empresa tem tomado para voltar a ser contratada pela Petrobrás?

Desde o final de 2016, investimos muito em conformidade, com a contratação de um Chief Compliance Officer (CCO) do mercado e a estruturação de um sistema de Conformidade sólido. Desde então, lançamos diversas políticas, com novas regras, como, por exemplo, a proibição de dar e receber brindes de agentes públicos, seja qual for o valor. Fizemos treinamentos com 100% de nossos integrantes para apresentar as novas regras e conceitos anticorrupção. Além disso, lançamos um canal de denúncias novo e independente, administrado por uma empresa terceirizada. Adotamos ainda medidas avançadas no tocante à governança corporativa, com a presença de dois conselheiros independentes no nosso Conselho de Administração.

Quais serão os principais desafios da Ocyan neste novo momento?

A companhia está olhando oportunidades de fechar novos contratos com petroleiras privadas que possuem projetos  e investimentos planejados no país.

Após a mudança de nome e marca, qual será o próximo passo a ser dado?

Nosso objetivo principal é continuar prestando serviços de excelência a nossos clientes no Brasil, mas sem deixar de analisar as possíveis oportunidades no exterior. Com a finalização de nossa reestruturação financeira, hoje  possuímos uma estrutura de capital sólida, que nos permite voltar a avaliar novos projetos e voltar a crescer. Temos ainda grande capacidade técnica, comprovada através de boa performance de nossos ativos, com destaque para a extração do Primeiro Óleo do FPSO Pioneiro de Libra.

No médio e longo prazo, qual será o planejamento da empresa para conquistar novos negócios?

Buscamos no ano de 2018 o fechamento de novos contratos e operar com excelência e segurança. A internacionalização e a diversificação da carteira de clientes também são metas que temos para o médio e longo prazos.

Deixe seu comentário

1 Comentário em "OCYAN FOCARÁ NO MERCADO DE FPSOS E BUSCA INTERNACIONALIZAÇÃO DE NEGÓCIOS"

avatar
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Dr. MARCÍLIO NOVAES MAXXON
Visitante
A OS PARCEIROS DO SISTEMA ELETROBRAS PRIVATIZAÇÃO DO SISTEMA| ELETROBRAS O BRASIL DE TEMER Na nossa cadeia produtiva de Petróleo & Gás Natural, existem um oceano de situações difíceis no dia a dia normal. Imaginem na atual situação? As empresas estão vivendo um momento muito difícil. Nesse contexto, o meu papel é de apoiar, para superar essa fase. Essas reuniões que buscam estruturar soluções, são normais em nossa atividade. Agora os governos de FHC, Lula e Dilma, já eram incompetentes, mais esse conseguiu superá-los, além das nossas expectativas. Sem comentar a atual gestão na Petrobras e suas empresas subsidiárias. Veja… Read more »