CAMPO DE LULA FOI FUNDAMENTAL PARA CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO INTERNACIONAL DE PETRÓLEO DA GALP

frfProdução de petróleo da Galp cresceu quase 20% no quarto trimestre, graças aos resultados do Campo Lula-Iracema, a sexta unidade de produção flutuante da empresa, fixando-se nos 99,1 mil barris/ dia. De acordo com os dados comunicados pela Galpo resultados ainda são preliminares,  pois os resultados da empresa serão apenas publicados no dia 20.  Segunda a empresa, a subida da produção média no último trimestre é fruto do contínuo aumento da produção no Brasil, que cresceu 23,9% no quarto trimestre de 2017, com parando o mesmo período em 2016, passando para 93,9 mil barris por dia. O FPSO Cidade de Saquarema(FOTO), que entrou em produção em julho de 2016, já  se encontra atualmente produzindo em  sua capacidade máxima, no campo de Lula-Iracema

A petrolífera portuguesa disse também  que a produção em Angola caiu 24,2% no quarto trimestre de 2017,  face ao mesmo período no ano anterior, fixando-se nos 5,2 mil barris diários. A produção é a mais relevante para as contas da empresa, pois tem impacto integral nos resultados da Galp após o pagamento de imposto nos países onde as concessões se localizam. Já a produção total da Galp subiu 19,1% no último trimestre de 2017, fixando-se nos 101,2 mil barris/dia, ultrapassando pela primeira vez num trimestre os 100 mil barris/dia. As matérias-primas processadas mantiveram-se estáveis no quarto trimestre de 2017. As vendas de produtos refinados caíram 1,6% no quarto trimestre de 2017 e as vendas a clientes diretos aumentaram 1,9%, suportadas sobretudo na maior atividade econômica registada na Península Ibérica (sobretudo ligada ao turismo) e na África.

As vendas de gás natural aumentam 2% face ao período homólogo, sobretudo devido à recuperação nas vendas a clientes diretos, que subiram 5,9%. Esta subida deve-se às maiores vendas no segmento industrial em Portugal e Espanha. Já as vendas em trading caíram 2,9%, traduzindo a atual redução das oportunidades existentes no mercado. As margens de refino na Europa foram de 3,5 dólares por barril durante o quarto trimestre, uma redução de 8,5% em relação ao mesmo trimestre de 2016. Estas são margens de referência, não são as margens efetivas das refinarias da Galp, que serão divulgadas na apresentação de resultados, no dia 20 de fevereiro. O preço médio do brent neste período aumentou 24,2%, fixando-se nos 61,3 dólares por barril. Em 2016, no mesmo período este preço era de  que compara com 49,3 dólares/barril.

Deixe seu comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar