PRIVATIZAÇÃO DOS GASODUTOS DA TAG PODERÁ SER UM GRAVE ERRO ESTRATÉGICO PARA A PETROBRÁS

hhfgffhO esforço que o Presidente da  Petrobrás, Pedro Parente,  está fazendo para privatizar alguns setores da companhia, dentro de um plano elaborado e sugerido pela diretoria de estratégia comandada pelo Diretor  Nelson Silva, precisará de uma explicação bem clara quando se refere a venda da TAG. Desde ontem (26) a Petrobrás está recebendo propostas para vender a empresa. Internamente é esperado que ela seja vendida  por US$ 6 bilhões. Algumas empresas, obviamente, se mostraram interessadas na aquisição, principalmente pelo mercado futuro que virá proporcionado pela Lei do Gás, em tramitação, e fundamentalmente pela gigantesca produção de gás do pré-sal. Estes  são os grupos que  devem apresentar propostas:  Mubadala, Engie, Pátria Investimentos e Macquarie. O banco australiano Macquarie ganhou força no processo, com a entrada do Itaúsa, braço de investimentos do Itaú Unibanco e da Brasil Warrant, da família Moreira Salles, no consórcio para a compra do gasoduto, de acordo com fontes do Petronotícias. Com a venda da TAG, a Petrobrás não terá  uma rede de gasodutos própria. Para transportar o gás as condições  serão baseadas com o modo  pague se não usar e pague mais se usar mais do que a capacidade contratada. Recentemente a Petrobrás vendeu a NTS, outra rede de gasodutos, por US$ 5,2 bilhões. A TAG é mais do que o dobro do tamanho da NTS e deverá ser entregue por US$ 6 bilhões. Pelo menos é este o número que as empresas que participação desse leilão está trabalhando. Quanto passará a valer a NTS e a TAG quando o gás do pré-sal chegar? Uma estratégia muito bem elaborada. Mas, com certeza, não será a Petrobrás a beneficiada.

Nelson Silva

Nelson Silva

Para lembrar, veja o tamanho da A TAG: seus gasodutos começam  no terminal de Cabiúnas, em  Macaé, no Rio de Janeiro e vai até o Pecém, no Ceará,  em uma rede integrada passando pelos Estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará. E ainda  o gasoduto isolado de Urucu-Manaus, no Amazonas. A TAG possui ainda muitos gasodutos que estão aglutinados em contratos de transporte de gás ou GTA (gas transport agreements). Os principais são: o Gasene, Malhas do Nordeste, Pilar-Ipojuca e o Urucu-Manaus.

A TAG registrou no ano passado uma receita líquida de R$ 4,7 bilhões e uma geração de caixa operacional, medida pelo Ebitda, de R$ 4,1 bilhões. Atualmente para se transportar a molécula pode chegar ao custo em torno de  US$10/ MM BTU e o transporte, dependendo em quantos contratos tem que passar para chegar ao destino, US$1,5/MM BTU. A  TAG pode transportar aproximadamente 75 MM m3/d.

Está cada vez mais difícil compreender as decisões da Petrobrás na área do gás. Parece carecas brigando por pente. Um exemplo é a paralisação do  terminal de regaseificação  da Baía de Guanabara  e transferir suas operações para a Bahia porque o governo do Rio de Janeiro aumentou o ICMS para 18 %.  Será que o EVTE (Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica)  não fez esta previsão? Não havia acordo com o governo ? Quanto esta custando levar o gás até a Bahia ? Quanto se está gastando de energia para mandar o gás para o Rio de Janeiro ? Quanto está pagando à TAG para trazer este  gás ? Qual é o custo da desmobilização das equipes ? Qual o custo da manutenção de um terminal parado ?  Mais caro ou mais barato do que os 18 % de ICMS ? Alguém fez esta conta ?

11A Petrobrás paga pelo volume que contratou, independentemente de quanto ela transporta a menos desse volume. É um contrato “ship or pay”. O mesmo que ocorre hoje com os gasodutos da NTS, vendida pela estatal. Ela vendeu os gasodutos abaixo do preço real da malha, deixou de arrecadar,  paga se não usar e paga bem mais se usar. E é o que vai acontecer  com a TAG. Entregará uma rede de gasodutos que vai do Rio ao Ceará, com várias interligações, recebendo um preço muito abaixo do valor do ativo.  O caso fica ainda mais interessante e digno de olhares mais atentos e  investigativos quando se compara os custos  de construção da rede de dutos com o valor da venda da TAG. Isso sem contar com os custos dos investimentos  da  construção do Gasoduto Urucu- Manaus, em 2006, mais R$2,2 Bilhões; Mais de R$ 1,1 Bilhão do Ipojuca-Pilar, em 2008, Gasene, etc.  Para se ter uma ideia comparativa veja o que a  estatal pagou apenas pelos seus últimos três grandes projetos de construção de gasodutos: Rota 3, ainda em construção, Gasduc III e Gastau. Somando-se o  investimento, mesmo levando-se em conta a depreciação, os valores atuais apenas desses ativos citados, somados a toda a rede espalhada do Rio ao Ceará e o gasoduto Urucu-Manaus, tudo somado,   passaria em muito  o valor que será arrecadado pela venda da TAG. Se for considerado ainda a perspectiva da empresa com o gás  pré-sal, pode se imaginar o tamanho do prejuízo que a Petrobrás terá.

O Gasoduto Rota 3 possui aproximadamente 355km de extensão total, sendo 307km referentes ao trecho marítimo e 48km referentes ao trecho terrestre, e escoará gás natural do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos até o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí. A vazão de escoamento do gasoduto é de aproximadamente 18 milhões de m³ por dia. Uma empresa de São Paulo  vai receber R$ 215,160 milhões para fazer a obra, fora os 40 km de tubos que serão pagos à Tenaris e  a parte marítima está sendo construída pela holandesa  All Seas. O investimento é a superior a R$ 2,5 bilhões.

Túnel do Gasduc III

Túnel do Gasduc III

O Gasduc III, ligando Cabiúnas, em Macaé,  à Reduc, em Caxias,  tem 179 quilômetros de extensão e foi inaugurado pelo ex-Presidente Lula, a um custo total de R$ 2,54 bilhões. Ele é o gasoduto com maior capacidade de transporte de gás porque usa tubos de 38 polegadas e é capaz de transportar 40 milhões de m³ por dia, superando  o Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol), que tem 32 polegadas e capacidade de transportar 30 milhões m³ por dia de gás natural. O gasoduto pode transportar o gás natural produzido nas bacias de Campos e Espírito Santo, o gás importado da Bolívia, que chega ao Rio de Janeiro por meio dos gasodutos Campinas-Rio e do Japeri-Reduc,  e o gás proveniente do Terminal de Regaseificação de gás natural liquefeito (GNL) da Baía de Guanabara. Com a conclusão do gasoduto Caraguatatuba-Taubaté (Gastau), o Gasduc III também pode receber o gás procedente da Bacia de Santos. O gasoduto possui um trecho construído sob a Serra de Santana no município de Cachoeiras de Macacu.  O túnel tem 3.758 metros de extensão, 6,2 metros de altura e 7,2 metros de largura e foi o primeiro a receber a tecnologia de lançamento de tubos em túneis.

O  Gastau,  Gasoduto Caraguatatuba/Taubaté,  foi uma das mais importantes obras de infraestrutura para a ampliação da oferta de gás natural no Sudeste, escoando

Gasoduto no Túnel do Gastau

Gasoduto no Túnel do Gastau

parte da produção da bacia de Santos. O projeto custou R$ 2 bilhões e também usou um túnel  de 5 quilômetros para cruzar a Serra do Mar, onde também foi usada a tecnologia de lançamento de dutos  com níveis ainda mais sofisticados. Através desse gasoduto a Petrobrás transporta de 10 a 13 milhões de m³ de gás por dia. A estrutura se conecta ao gasoduto Campinas-Rio, usando tubulações de 28 polegadas trazendo o gás  dos campos  de Mexilhão e de Lula.

Além de tudo tem a Lei do Gás que está tramitando garante ao transportador  uma remuneração suficiente para seu investimento (lucro) mediante reajuste tarifário periódico. Trata-se de um negócio de retorno garantido, sem riscos para o proprietário dos gasodutos, tanto para a  NTS quanto para a  TAG. Por que a Petrobras deve sair de um nicho de negócios sem riscos e entregar lucro garantido, para assumir ela própria os riscos da mudança na regulação? A ANP manifestou sua intenção de atualizar o marco regulatório da tarifação de transporte de gás, passando do valor fixo para um valor variável segundo a distância transportada. Isto afeta diretamente os interesses da Petrobrás que deverá pagar mais para integrar o gás do Pré-Sal à malha de dutos remanescente. Vender um ativo com tantas perspectivas de ganho futuro, entregando para a empresa privada um bem estratégico que fará falta no futuro, tirando a independência para escoar bilhões de m³ de gás do pré-sal. É o caso de se lembrar o nosso Galvão Bueno: Pode isso, Arnaldo ?

4
Deixe seu comentário

avatar
4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
Rafael Bruno Antunes de Rezendejoão batista de assis pereiraClebson Luis Dias dos Santosdeco bamba Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
deco bamba
Visitante
deco bamba

Não há muitas explicações do assunto. PP está arruinando os alicerces da empresa para preparar para privatização. Ocorre que está bricadeirinha toda não gera empregos ou retorno ao estado, é somente um banqueiro fazendo o jogo de outros com o beneplácito do governo Temer. PP era do mesmo grupo que sob a égide de FHC tentou fazer uma estratégia de privatização da BR mas as táticas foram todas furadas e não deram certo.

Clebson Luis Dias dos Santos
Visitante
Clebson Luis Dias dos Santos

Total falta de respeito a nação brasileira e descompromisso com assuntos essencialmente estratégico para a soberania nacional. Alocando puramente interesses provincianos maculados de mal caretice. Fragmentando a empresa e assim tirando o seu sistema integrado.

joão batista de assis pereira
Visitante
joão batista de assis pereira

PETROBRAS SUCUMBE SOB EFEITOS MALÉVOLOS DO IPO DA BR E PAGAMENTOS TRIBUTÁRIOS CONTROVERSOS PARA EQUILIBRO DE CONTAS DO GOVERNO FEDERAL. https://www.linkedin.com/pulse/petrobras-sucumbe-sob-efeito-recorrentes-de-cobran%25C3%25A7a-para-pereira/?lipi=urn%3Ali%3Apage%3Ad_flagship3_profile_view_base_post_details%3B61hZElLbQz%2BA8iHf0hIiow%3D%3D O Conselho da Petrobras aprovou reestruturação societária da subsidiária Petrobras Distribuidora (BR), que implicará aporte de capital e em cisão parcial da unidade, segundo comunicado. A Petrobras aportará R$ 6,3 bilhões na reestruturação. O recurso gerado pelo aporte de capital da Petrobras na BR será utilizado integralmente para o pré-pagamento de dívidas, contraídas anteriormente pela BR e garantidas pela Petrobras, segundo o comunicado. A operação de cisão parcial da BR consiste na separação dos recebíveis detidos pela BR decorrentes… Read more »

Rafael Bruno Antunes de Rezende
Visitante
Rafael Bruno Antunes de Rezende

É golpe!!!