CONSÓRCIO GALP/ENI CONTESTA AMBIENTALISTAS E DIZ QUE A BACIA DO ALGARVE TEM PETRÓLEO PARA 17 ANOS DE PRODUÇÃO

ssssApesar dos fortes protestos promovidos no sábado em Lisboa, com ativistas protestando contra a possibilidade de exploração de petróleo na Bacia Marítima Alentajana, o consórcio formado pela Portuguesa Galp e pela Italiana ENI, está longe de decidir abandonar o projeto do qual o consorcio tem concessão  e permissão do governo de Portugal  iniciar os trabalhos. A bacia marítima do Alentejo poderá ter petróleo suficiente para consumo entre 11 a 17 anos, segundo as empresas. Uma riqueza que não querem abandonar apesar da proibição de três cidades próximas ao Algarve e das denúncias feitas pelos ambientalistas.  De acordo com as duas empresas, caso  venha a concretizar a presença delas na exploração naquela região,  poderá representar uma oportunidade para o desenvolvimento econômico do país e para a redução do deficit  da balança comercial e energética portuguesa.  A perfuração, que tem sido alvo de muitas críticas por parte das associações ambientalistas, deverá realizar-se no final do ano e o potencial de exploração da bacia alentejana poderá traduzir-se entre 10 e 15 bilhões de barris de petróleo.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of