ENERGOATOM AGUARDA APROVAÇÃO DA PROPOSTA DA PONTE DE ENERGIA QUE VAI ABASTECER PARTE DA EUROPA | PetroNotícias





ENERGOATOM AGUARDA APROVAÇÃO DA PROPOSTA DA PONTE DE ENERGIA QUE VAI ABASTECER PARTE DA EUROPA

SSSSO operador de usinas nucleares da Ucrânia, Energoatom, espera que o Gabinete de Ministros do país aprove em breve os documentos necessários para atrair um parceiro privado para o projeto “ponte de energia”. O projeto visa tornar possível a exportação de eletricidade para a União Europeia desconectando a unidade 2 da usina nuclear de Khmelnitsky da rede nacional ucraniana e atrair financiamento necessário para completar as unidades 3 e 4 na usina. A Ucrânia espera começar a fornecer eletricidade para a rede da UE através da chamada ponte energética já no próximo ano, e concluir o projeto até 2025. A ponte de energia ligará Khmelnitsky 2 à Burshtyn Energy Island e conectará as linhas de força a Rzeszów na Polônia e Albertirsa na Hungria. O Gabinete de Ministros da Ucrânia adotou um decreto sobre a ponte energética Ucrânia-UE em junho de 2015. Isto resultou na assinatura de um memorando de entendimento sobre o projeto em março daquele ano entre a Energoatom, a Ukrenergo e a Polenergia.

O presidente da Energoatom, Yury Nedashkovsky, discutiu recentemente o projeto com Dominika Kulczyk, co-proprietária da Kulczyk Investments. A empresa polonesa de energia Polenergia International faz parte da holding Kulczyk Investments. De acordo com Energoatom Kulczyk disse que o projeto é de grande importância tanto no contexto econômico quanto no político: “A Polônia precisa da eletricidade ucraniana e, por sua vez, a Ucrânia precisa da Polônia para uma maior integração energética com a UE”. Nedashkovsky observou que quatro anos se passaram desde que a ideia de uma ponte energética entre a Ucrânia e a UE foi formada: “Durante esse tempo, conseguimos fazer muito: o projeto recebeu o apoio do governo ucraniano e um consórcio de empresas líderes foi criado para implementá-lo. Ainda assim, questões difíceis permanecem, mas tenho certeza de que conseguiremos resolvê-los em conjunto. Esperamos no futuro próximo a aprovação pelo Gabinete de Ministros da documentação do concurso, que é necessária para realizar uma licitação para determinar um parceiro privado para o projeto Ucrânia-UE Energy Bridge. Um dos pontos da documentação é o procedimento por permitir que a Energoatom tenha acesso ao mercado interestadual de eletricidade por 20 anos, o que garantirá a livre exportação de eletricidade “.

 Em seu comunicado, a Energoatom observou que o grupo de trabalho para o projeto da ponte de energia dentro do Ministério da Energia e da Indústria de Carvão da Ucrânia aprovou em setembro do ano passado uma análise da viabilidade de uma parceria público-privada. Desde então, a Energoatom disse que um consórcio internacional de energia para a implementação do projeto da ponte de energia seria formado pela Westinghouse Electric Sweden AB, a Polenergia International Sàrl (Luxemburgo) e a EDF Trading Limited (Reino Unido). O projeto prevê a exportação de eletricidade de Khmelnitsky 2 de duas maneiras: através da linha de transmissão de 750kV para Rzeszów na Polônia e a linha para a subestação de Albertirsa na Hungria. O trabalho de atualização nessas linhas permitirá a adição de 1000 MWe de energia nuclear ao potencial de exportação existente da Ilha de Energia de Burshtyn, que atualmente é fornecida exclusivamente por geração térmica (550 MW).

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of