ENTRADA DE PEDRO PARENTE NO CONSELHO DA BRF PODE SER O PRIMEIRO PASSO DE SUA SAÍDA DA PETROBRÁS

sssssssA eleição confirmada de Pedro Parente para a presidência do Conselho de Administração da BRF não pode outra justificativa se não a de asfaltar a sua saída da Presidência da Petrobrás, com a proximidade do fim do governo Temer.  Sua vaidade venceu  e o compliance da companhia que dirige e que ajudou a implantar suas regras sobre ética, perdeu de goleada.  Ele foi capaz de aceitar continuar como presidente de uma companhia cheia de problemas  para dividir o seu espaço e ser o responsável pelo conselho de administração de um grande grupo também com problemas gigantescos.  E ainda mais envolvido em operações corruptas que lambuzaram de lama muitos políticos.  Parece ser o primeiro arranjo, o início dos preparativos, o primeiro passo para sua saída da presidência da Petrobrás. Além de Parente, Francisco Petros e Luiz Fernando Furlan, os novos membros do colegiado são Augusto Cruz, Walter Malieni, Flávia Almeida, Roberto Rodrigues, Dan Ioschpe, José Luiz Osório e Roberto Mendes. Abilio Diniz deixou o conselho. Os eleitos fazem parte da chapa  previamente entre os maiores acionistas após semanas de intenso vai e vem nas negociações. O novo conselho de administração da BRF toma posse nesta sexta-feira (27) e seu primeiro desafio será escolher um CEO – o quarto em cinco anos. O executivo José Aurélio Drummond, que ocupou o cargo por poucos meses, pediu demissão no início desta semana.

A CVM pediu à BRF que mantivesse a escolha dos conselheiros vaga a vaga Na quarta-feira (25), a empresa havia anunciado que teria apenas uma chapa única. A mudança no sistema de votação ocorreria porque o fundo britânico Aberdeen retirou sua solicitação de voto múltiplo, mas a CVM entendeu que a chapa única adotada de última hora prejudicaria os interesses de acionistas cujos votos já haviam sido enviados e que representavam cerca de 13% do capital. A confirmação de Parente marca o fim do período de Abílio à frente da BRF. Depois de uma saída turbulenta da rede varejista Pão de Açúcar, que pertencia a sua família, o empresário assumiu o conselho da BRF em abril de 2013. Os fundos de pensão Petros (Petrobras) e Previ (Banco do Brasil), que juntos detém 22% do capital da empresa, estavam insatisfeitos com a gestão de Abilio, que possui quase 5% das ações. O empresário contava com o apoio do fundo Tarpon, outro relevante acionista com 7%.

2
Deixe seu comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
deco bambaLuciano Seixas Chagas Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Luciano Seixas Chagas
Visitante
Luciano Seixas Chagas

Tomara que seja verdade e que saia logo da Petrobras para darmos fim a um ciclo funesto. E que leve consigo seu séquito da Petrobras, todos. É bom demais para ser verdade. Coitada d BRF e dos fundos de pensão como o meu, Petros, que confiscou expressiva parte da aposentadoria de todos os aposentados da Petrobras para cobrir um déficit de R$ 27 bilhões, depois que o gestor Petros, nomeado pelo presidente da Petrobras anunciou o valor absurdo do prejuízo, que será pago somente pelos empregados, pois o gestor do fundo não cobra da Petrobras grande parte das dívidas que… Read more »

deco bamba
Visitante
deco bamba

A indicação de Parente com aval da Petro mostra porque a Petro não vai bem das pernas. A saída dele da BR será uma vitória para o Brasil. Este senhor não conhece o Brasil e não sabe as reais necessidades do povo brasileiro. É simplesmente um banqueiro. Não é um administrador de empresa. A emprensa puxa saco é que elevou o cara como administrador. Algo que não é.