ALTA DO PETRÓLEO FAZ AS USINAS PRIORIZAREM PRODUÇÃO DE ÁLCOOL AO INVÉS DE AÇÚCAR | PetroNotícias





ALTA DO PETRÓLEO FAZ AS USINAS PRIORIZAREM PRODUÇÃO DE ÁLCOOL AO INVÉS DE AÇÚCAR

dedA disparada do preço do barril de petróleo flutuando nas ondas da incerteza política,  tornou financeiramente mais vantajosa para as usinas de produção de etanol priorizar a produção do combustíveis do que do açúcar.  As usinas do centro-sul do país bateram recorde de produção na segunda quinzena de abril.  A produção do combustível derivado da cana  atingiu 1,3 bilhão de litros, superando até mesmo períodos do auge da safra canavieira, entre junho e agosto, de acordo com dados divulgados pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar nesta quinta-feira (10). Foi a maior produção do combustível desde agosto de 2015, graças à priorização da fabricação do etanol em detrimento do açúcar. Na década, só três quinzenas tiveram produção nesse ritmo. A produção de hidratado é quase o dobro da safra passada.

A produção recorde é explicada pelo fato de apenas 35,78% da cana que chegou às usinas ter sido usada para produzir açúcar, enquanto o restante virou etanol anidro,  usado na mistura à gasolina ou hidratado, vendido diretamente nas bombas. No mesmo período do ano passado, 43,06% da cana tinha sido usada para produzir açúcar. As usinas também aceleraram a produção, com 37,68 milhões de toneladas moídas na segunda quinzena de abril, 55,3% mais que em 2017, quando o volume alcançou 24,26 milhões de toneladas. Desde o início da safra, até o último dia 30, foram esmagadas 59,84 milhões de toneladas de cana, ante as 41,95 milhões da safra anterior. A safra 2017/18 alcançou 596,31 milhões de toneladas. Isso resultou em produção de 2,24 milhões de toneladas de açúcar, 2,15 bilhões de litros de etanol hidratado e outros 566,76 milhões de litros de anidro.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of