FUNCIONÁRIOS DA PETROBRÁS ORGANIZAM PROTESTO CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DAS REFINARIAS DA COMPANHIA

ccDaqui a pouco, às 12:30 h,  começa o protesto de funcionários  da Petrobrás contra a decisão de privatizar as refinarias da companhia, anunciadas pelo plano de privatização da empresa. O protesto está marcado  para a frente do Prédio do EDISE, no Edifício Senado, no centro do Rio de Janeiro.  O movimento  está sendo organizado e tem  o apoio da AEPET – Associação dos Engenheiros da Petrobrás. Seu presidente,  Felipe Coutinho,  disse que “ Os  Petroleiros unidos e organizados são mais fortes para defender a Petrobrás e suas refinarias. O petróleo e a Petrobrás são do Brasil e devem servir a maioria dos brasileiros.”  Os engenheiros da Petrobrás consideram que  as  vendas das refinarias  reproduz “ o ciclo de entregar patrimônio público, acumulado ao longo de anos de investimentos, necessários para o desenvolvimento e criação de infraestrutura no país, a grandes grupos privados nacionais e internacionais”.

No dia 27 de abril a Petrobrás anunciou que estava pondo a venda sua participação em refino e logística no país. O modelo prevê a criação de duas subsidiárias, uma reunindo ativos da região Nordeste e a outra reunindo ativos da região Sul. A Petrobrás pretende vender 60% de sua participação acionária em cada uma dessas novas sociedades. A subsidiária do Nordeste compreenderá as refinarias Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, e Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco, bem como os ativos de logística (dutos e terminais) operados pela Transpetro e integrados a essas refinarias: 2 terminais aquaviários (Madre de Deus e Suape) e 3 terminais terrestres (Candeias, Itabuna e Jequié), 2 dutos de suprimento de petróleo, 1 poliduto e 35 dutos de derivados interligando as refinarias às bases e terminais de distribuição.

A subsidiária do Sul compreenderá as refinarias Alberto Pasqualini (REFAP), no Rio Grande do Sul, e Presidente Getúlio Vargas (REPAR), no Paraná, bem como os ativos de logística (dutos e terminais) operados pela Transpetro e integrados a essas refinarias: 4 terminais aquaviários (Paranaguá, São Francisco do Sul, Tramandaí, Niterói) e 3 terminais terrestres (Guaramirim, Itajaí e Biguaçu), 2 dutos de suprimento de petróleo, 2 polidutos e 4 dutos de derivados interligando as refinarias às bases e terminais de distribuição. A companhia justifica as vendas e a formação de  parcerias dizendo que  fazem parte do reposicionamento estratégico da Petrobrás nos segmentos de refino, transporte e logística em linha com o seu Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão, que prevê o estabelecimento de parcerias e desinvestimentos como uma das principais iniciativas para mitigação de riscos, agregação de valor, compartilhamento de conhecimentos, fortalecimento da governança corporativa da empresa.

Deixe seu comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
  Subscribe  
Notify of