Megabanner

SETOR DE ENERGIA CRESCE E EMPREGA ATUALMENTE 6,5 MILHÕES DE TRABALHADORES

SASSSASVejam a força do setor energético nos Estados Unidos: ele empregou 6,5 milhões de trabalhadores em 2017, um aumento de 133 mil empregos em relação ao ano anterior, segundo um abrangente relatório divulgado pela Energy Futures Initiative (EFI) e pela National Association of State Energy Officials (NASEO). Esta taxa de crescimento de 2% excedeu a média nacional de 1,7 %. Os empregos nos setores de energia foram responsáveis por quase 7% de todos os novos empregos em todo o país em 2017. O Relatório de Energia e Emprego de 2018 dos EUA (U.S. Energy & Employment Report – USEER) é a terceira parte de uma pesquisa sobre emprego energético estabelecida pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos, em 2016. Este ano, o relatório foi produzido pela Energy Futures Initiative, think tank do ex-Secretário de Energia Ernesto Moniz, em parceria com a NASEO. Ambas as organizações conseguiram financiamento privado para continuar o relatório. O USEER foi anteriormente lançado pelo Departamento de Energia.

Outros tópicos importantes do relatório incluem:

  • Empregadores da área de Eficiência Energética criaram a maior parte dos novos empregos dos quatro setores analisados (geração de energia elétrica e combustíveis; transmissão, distribuição e armazenamento; eficiência energética; veículos motorizados), adicionando 67.000 novos empregos.
  • Os empregos na geração de eletricidade a gás natural continuaram a crescer, adicionando mais de 19.000 novos empregos, à medida que o gás natural continuou a ascender à posição de combustível número um para geração de eletricidade nos EUA.
  • As empresas de energia solar empregaram, total ou parcialmente, 350.000 pessoas em 2017. Isso representa uma redução de 24.000 postos de trabalho em energia solar em 2017 – a primeira perda líquida de empregos desde que os empregos solares foram compilados pela primeira vez em 2010.
  • Dos 7,1 milhões de empregos em construção nos EUA, mais de 2 milhões, ou cerca de 29%, são diretamente apoiados por empresas tradicionais de energia ou eficiência energética.
  • 70% de todos os empregadores pesquisados relataram dificuldade em contratar trabalhadores qualificados nos últimos 12 meses; 26% notaram que era muito difícil.
  • As taxas de crescimento do emprego de energia desaceleraram em 2017 para 2%, mas ainda ultrapassaram a média nacional de 1,7%.

Para ter acesso ao material completo, entre no site www.USEenergyjobs.org .

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of