Megabanner

INTERNACIONALIZAÇÃO DE NEGÓCIOS DA INB AVANÇA NOVA ETAPA

O diretor de Produção do Combustível Nuclear, Marcelo Xavier, o Superintendente Márcio Adriano e o presidente Reinaldo Gonzaga

O diretor de Produção do Combustível Nuclear, Marcelo Xavier, o Superintendente Márcio Adriano e o presidente Reinaldo Gonzaga

As Indústrias Nucleares do Brasil (INB) deram um novo passo em seu plano de internacionalização de negócios. O objetivo ao buscar contratos no exterior é conquistar sua autossuficiência financeira. Nas palavras do presidente da estatal, Reinaldo Gonzaga, a meta agora é “levar o nome da INB para o mundo”. Recentemente, o executivo viajou à França para consolidar a companhia como agente exportador de peças e materiais para a empresa Framatome (antiga Areva).

A ideia é que os franceses passem a receber da INB o esqueleto do elemento combustível, semelhante ao utilizado na usina Angra 2. A negociação prevê que a Framatome utilize este componente na fabricação do combustível para as recargas do reator espanhol operado pela empresa, em Trillo. As negociações seguem em curso e um representante da Framatome virá ao Brasil em breve para dar andamento às conversas.

A INB também tem planos para o mercado sul-coreano. A estatal já tem contrato de venda cruzada com a companhia KNF para abastecimento do reator de Angra 1. O próximo passo agora é se qualificar para fornecer mais componentes para a montagem do elemento combustível. Esse processo de qualificação deve ser concluído até 2019. Além disso, a empresa brasileira está negociando com a KPS, também da Coreia do Sul, para renovar as parcerias já existentes e expandir os serviços realizados em Angra 1 para as plantas coreanas.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of