PETROLEIROS INICIAM GREVE, MAS PETROBRÁS AFIRMA QUE NÃO HÁ IMPACTO NA PRODUÇÃO | PetroNotícias





PETROLEIROS INICIAM GREVE, MAS PETROBRÁS AFIRMA QUE NÃO HÁ IMPACTO NA PRODUÇÃO

Protesto dos petroleiros na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar)

Protesto dos petroleiros na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar)

De nada adiantou a decisão liminar do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que classificou como abusiva a greve dos petroleiros. Os planos de cruzar os braços nas primeiras horas desta quarta-feira (30) foram levados a diante e diversos atos estão sendo realizados pelos trabalhadores em diversas unidades da Petrobrás espalhadas pelo país.

De acordo com a Federação Única dos Petroleiros (FUP), os operários não entraram para trabalhar nas refinarias de Manaus (Reman), Abreu e Lima (Pernambuco), Regap (Minas Gerais), Duque de Caxias (Reduc), Paulínia (Replan), Capuava (Recap), Araucária (Repar), Refap (RS), além da Fábrica de Lubrificantes do Ceará (Lubnor), da Araucária Nitrogenados (Fafen-PR) e da unidade de xisto do Paraná (SIX).

Ainda segundo informações da FUP,  a greve atinge os terminais do Paraná, de Santa Catarina, do Rio Grande do Sul, do Espírito Santo, do Amazonas, do Ceará, de Pernambuco, de Campos Elíseos (Duque de Caxias) e de Cabiúnas (Macaé). A entidade diz ainda que, no Rio Grande do Norte, trabalhadores dos campos de produção terrestre do Alto do Rodrigues e de Mossoró também aderiram à greve, assim como os petroleiros do Ativo Industrial de Guamaré e da Estação Coletora do Canto do Amaro.

Participam ainda da greve os trabalhadores da Usina Termoelétrica Leonel Brizola, em Duque de Caxias, e os petroleiros das unidades de tratamento e processamento de gás natural (UPGNs e UTGCs) do Espírito Santo, onde os petroleiros da sede da Petrobrás, em Vitória”, acrescentou a FUP, em nota.

A Petrobrás, contudo, afirma que mesmo com as paralisações, não houve impacto na produção. “Hoje, 30/5, foram registradas paralisações pontuais em algumas unidades operacionais. Equipes de contingência estão atuando onde necessário e não há impacto na produção”, disse a petroleira, em comunicado divulgado nesta manhã.

Os petroleiros reivindicam a redução no preço dos combustíveis e do gás de cozinha, manutenção de empregos, o fim da privatização de ativos da Petrobrás e  a demissão do presidente da estatal, Pedro Parente.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of