TURQUIA PRESSIONA O JAPÃO PARA ACELERAR O PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE QUATRO USINAS NUCLEARES NO PAÍS

Turkish President Erdogan in New YorkO presidente turco Recep Tayyip Erdogan e o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, discutiram acelerar a construção de uma usina nuclear na província do Mar Negro de Sinop. A Turquia, que é dependente de importações de energia, tem projetos para duas usinas nucleares, em que vão investir ambas custem 20 bilhões de dólares. Para a usina nuclear planejada em Sinop, o contrato foi fechado em 2013 com um consórcio da Mitsubishi Heavy Industries, Itochu Corp. do Japão e da GDF Suez da França. O plano é construir quatro reatores com uma produção total de 4.500 megawatts (MW) na cidade de Sinop, que fica na costa do Mar Negro, usando reatores Atmea1 que a Mitsubishi Heavy Industries está desenvolvendo com a Framatome, da França. Apesar de o objetivo ser colocar seu primeiro reator em serviço em 2023, a tempo para as comemorações do centenário da Turquia, há alguns aspectos que estariam atrasando o projeto. Os custos estimados para o projeto inflaram 46,2 bilhões de dólares, o que está sendo um impedimento e motivos de negociações.

A empresa comercial Itochu estaria se retirando do projeto na Turquia devido ao aumento repentino dos custos relacionados à segurança, jogando incertezas sobre o futuro da usina. A Itochu estava conduzindo conjuntamente um estudo de viabilidade com seus parceiros de consórcio, que a Mitsubishi Heavy e outros investidores no consórcio esticaram o prazo. A promessa é que o reator estaria pronto até 2023. Em 2011, a empresa russa Rosatom foi contratada para construir e operar uma usina nuclear de 4.800 MW na província de Mersin, ao sul, que está marcada para ser a primeira usina nuclear da Turquia. Em abril deste ano, Erdogan e o presidente russo Vladimir Putin marcaram o início da construção durante a visita de Putin a Ancara, que prometeu entrega-la ativa em 2023.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of