AGÊNCIA INTERNACIONAL APROVA PLANO PARA O DESENVOLVIMENTO PACÍFICO DA ENERGIA NUCLEAR DO SUDÃO

 

2Depois de uma  missão de oito dias da Revisão Integrada da Infraestrutura Nuclear (INIR) no Sudão, a  convite do governo, a equipe de especialistas da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) concluiu que o país está fortemente comprometido em desenvolver a infraestrutura necessária para um programa de energia nuclear seguro e pacífico. O Sudão quer aumentar sua capacidade instalada de eletricidade para apoiar o desenvolvimento socioeconômico, particularmente nos setores industrial, agrícola e de mineração. O governo projetou que a demanda por eletricidade irá mais que dobrar para cerca de 8500 MWe até 2031.  A missão INIR analisou o status do desenvolvimento da infraestrutura nuclear usando os critérios da Fase 1 da Abordagem de Marcos da AIEA, um método abrangente para ajudar os países que estão considerando ou planejando sua primeira usina nuclear que divide as atividades necessárias para estabelecer a infraestrutura para uma energia nuclear.  O programa tem três fases progressivas de desenvolvimento. O final da Fase 1 marca a disponibilidade de um país para se comprometer com um programa de energia nuclear. O Sudão assinou em maio de 2016 um acordo-quadro com a China National Nuclear Corporation para a construção de um ou dois reatores nucleares de 600 MWe e a formulação de um roteiro de cooperação nuclear para os próximos dez anos e em 2017 assinou um memorando de entendimento sobre os usos pacíficos energia nuclear com Rosatom.

Anthony Stott, chefe operacional da Seção de Desenvolvimento de Infraestrutura Nuclear da AIEA, disse que “boas discussões” forneceram informações adicionais à equipe para cada uma das 19 questões de infraestrutura que são abordadas durante uma missão INIR: “É evidente que há um forte compromisso do governo do Sudão em desenvolver a infraestrutura necessária para um programa de energia nuclear seguro e pacífico”. O Sudão promulgou uma lei nuclear abrangente e estabeleceu uma autoridade reguladora nuclear. O país concluiu um número significativo de estudos sobre diferentes questões de infraestrutura nuclear que contribuíram para o desenvolvimento de um relatório de pré-viabilidade. A equipe do INIR observou que alguns desses estudos podem precisar ser revisados e atualizados para preparar melhor o país para os próximos estágios do programa de energia nuclear. A equipe também identificou boas práticas que beneficiariam outros países, considerando a introdução de energia nuclear nas áreas de posição nacional e local e instalações de apoio.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of