ENGENHEIROS INDIANOS CONSEGUEM RECOMISSIONAR UM REATOR NUCLEAR NOVE ANOS DEPOIS DE DESATIVADO

121Uma versão atualizada do reator de pesquisa mais antigo da Índia, o Apsara, foi recomissionada nove anos depois de ter sido desativada. O anuncio foi feito pelo Centro de Pesquisa Atômica Bhabha (BARC). A construção do reator de piscina, fornecido pela França, começou no campus Trombay da BARC, em Mumbai, em maio de 1955. O reator de 1 MWt,  que usava urânio altamente enriquecido como combustível,  alcançou a primeira criticidade em agosto do ano seguinte. Por mais de 50 anos, o reator foi utilizado para a produção de isótopos, pesquisa básica, experimentos de blindagem, análise de ativação de nêutrons, radiografia de nêutrons e o teste de detectores de nêutrons.  Em 2009, o reator foi permanentemente fechado. No entanto, após uma grande atualização, uma nova versão do Apsara foi agora comissionada. Abastecido com placas de combustível feitas de urânio de baixo enriquecimento, alcançou o maior nível às 6h41 do dia 10 de setembro, segundo a BARC.

Em um comunicado, a BARC disse que “em virtude do maior fluxo de nêutrons, este reator aumentará em 50% a produção de radioisótopos para aplicações médicas e também será usado extensivamente para pesquisas em física nuclear, ciência de materiais e blindagem de radiação. Este desenvolvimento enfatizou novamente a capacidade dos cientistas e engenheiros indianos de construir instalações complexas para assistência médica, educação científica e pesquisa“.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of