A GIGANTE CHINESA CNPC VAI SUBSTITUIR A SINOPEC NOS INVESTIMENTOS EM PETRÓLEO NA VENEZUELA

O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, chegou nesta quinta-feira(13) na   China onde pretende viabilizar novos acordos econômicos. Há dois dias, a vice-presidente da Venezuela, Delcy Rodriguez,  desembarcou em Pequim onde manteve uma longa reunião com Zhang Jianhua, na sede da gigante chinesa CNPC.  Eles tiveram uma troca de pontos de vista sobre o avanço da cooperação de petróleo e gás entre os dois lados. A CNPC deve fazer grandes investimentos no setor petrolífero venezuelano. Em dezembro de 2017, a Sinopec, uma das maiores companhias petrolíferas estatais chinesas, processou a PSDVA, a companhia de petróleo da Venezuela, por causa de uma dívida de 2012 que não foi paga.  Por sua vez, o ditador venezuelano  vai negociar três acordos com os chineses: um novo empréstimo de US$ 5 bilhões; um novo período de carência, de seis meses, para o serviço da dívida já contraída; e um memorando de entendimento para a proteção do investimento da China na Venezuela.

Em Pequim, o ministro do Exterior chinês, Wang Yi,  disse que a China está disposta a oferecer apoio financeiro à Venezuela em meio à crise econômica. A Venezuela tem uma dívida externa pública de cerca de US$ 150 bilhões, incluindo US$ 23 bilhões com a China. Recentemente a Venezuela recebeu bilhões de dólares da China e da Rússia, seus maiores credores, principalmente por meio de investimentos e empréstimos em troca de petróleo. No caso da China, o valor acumulado entre os anos de 2007 e 2016 foi de US$ 62 bilhões. O Fundo Monetário Internacional estimou que a inflação no país neste ano chegará a 1.000.000%, enquanto o PIB cairá 15%. Isso levou a China a recusar diversos pedidos de novos financiamentos, baseados na crença de que as dívidas não serão honradas por Caracas.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of