FURACÃO FLORENCE VAI OBRIGAR OS OPERADORES A DESLIGAREM AS USINAS NUCLEARES NA COSTA LESTE AMERICANA

Hurricane-Florence-preparations-USA-12-Sep-2018(R-Piper-FEMA)Não é só a indústria do petróleo que está preocupada com a chegada do Furacão Florence na costa americana. Os operadores de usinas nucleares nas Carolinas e na Virgínia também estão se preparando  para o furacão, que deve na madrugada desta sexta-feira(14). O centro regional de resposta a incidentes da Comissão Reguladora Nuclear dos Estados Unidos (NRC), em Atlanta, Geórgia, fornecerá apoio 24 horas por dia durante a tempestade. O Administrador Associado da FEMA, Jeff Byard (à direita) ofereceu uma visão geral dos esforços federais de apoio ao furacão Florence ao senador da Carolina do Sul, Tim Scott, no Centro de Coordenação Nacional de Resposta. Os procedimentos exigem que as operadoras desliguem as usinas bem antes que os ventos com força de furacão cheguem ao local.

A planta de duas unidades da Duke Energy, em Brunswick, ao sul de Wilmington, Carolina do Norte, pode enfrentar ventos com  a força do furacão, grandes tempestades e chuvas torrenciais, disse o NRC. Inspetores adicionais do NRC estão sendo enviados para plantas nas áreas que serão afetadas, onde os inspetores residentes do NRC estão revisando as preparações do operador. Algumas outras plantas estão trabalhando nos  procedimentos  quando há eventos climáticos severos. Seus inspetores estão verificando se todas as preparações foram concluídas e os geradores a diesel de emergência das usinas estão disponíveis com combustível suficiente, caso a tempestade afete a energia externa.

O NRC também está verificando as preparações de tempestades nas instalações da Global Nuclear Fuels-America perto de Wilmington e do reator de pesquisa da Universidade Estadual da Carolina do Norte e outros licenciados na região. O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos previu hoje(13) que  o centro do furacão vai se aproximar das costas da Carolina do Norte e do Sul, e depois se aproximar ou passar a costa do sul da Carolina do Norte e leste da Carolina do Sul. A Agência Federal de Gerenciamento de Emergências dos Estados Unidos (FEMA), que coordena o papel do governo federal na preparação, prevenção, mitigação dos efeitos, resposta e recuperação de todos os desastres domésticos, naturais ou provocados pelo homem, disse que o furacão deverá chegar ao continente e inundar as áreas do interior com chuva nas partes central e ocidental da Carolina do Sul, Carolina do Norte e Virgínia.

As usinas nucleares dos EUA resistiram a furacões antes. Em outubro de 2016, o landfall do furacão Matthew derrubou linhas de energia e transformou os transformadores, deixando mais de dois milhões de clientes sem energia em vários estados. A usina Robinson respondeu a uma perda temporária de energia fora do local desligando com segurança. A  Usina Harris também sofreu uma perda de energia fora do local, mas já foi desativada devido a uma interrupção programada de reabastecimento. Os geradores a diesel de emergência em ambas as usinas operaram conforme o projeto e a energia externa foi restaurada em 24 horas. Os meteorologistas da Duke Energy estão estimando que as quedas de energia nas Carolinas do furacão Florence podem afetar  entre um e três milhões de clientes, com o trabalho de restauração de energia levando semanas.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of