TERMINA A 62ª CONFERÊNCIA SOBRE ENERGIA ATÔMICA COM UM BALANÇO POSITIVO PARA AS ATIVIDADES BRASILEIRAS

1Termina nesta sexta-feira (21) a 62ª edição da Conferência Geral da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica), que durou toda esta semana em Viena, capital austríaca. Para o Brasil, um balanço muito positivo. Além de participar das palestras técnicas, ainda esteve presente no setor de exposições da conferência, levando e mostrando os serviços que o país desenvolve em seu Programa Nuclear. Não apenas na parte de geração de energia, através das usinas nucleares de Angra dos Reis, mas no desenvolvimento do uso nuclear na medicina, na agricultura, na produção de combustível e do enriquecimento de urânio.  Marta Žiaková, da Eslováquia, foi eleita como Presidente da Conferência, mas será  o diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, que fará a declaração de encerramento do mais importante evento nuclear que acontece anualmente. Ele irá destacar  a contribuição única da agência para a paz e a segurança internacionais e seu trabalho para melhorar a saúde e a prosperidade de milhões de pessoas por meio do uso pacífico da tecnologia nuclear. Uma mensagem do Secretário-Geral das Nações Unidas também será lida no encerramento.

A delegação brasileira participou ativamente do evento e recebeu muitos interessados em conhecer o estágio do Brasil neste mercado. Além do Presidente da ABDAN, Celso Cunha, o Presidente da Nuclep, Almirante Carlos Seixas, o Presidente da Amazul, Almirante Ney Zanella, o Presidente do CNEN,  Brigadeiro Paulo Roberto Pertusi, e o presidente da INB, Reynaldo Gonzaga, também está presente o representante permanente do Brasil  junto a AIEA em Viena, Marcel Biato. Muito importante também a participação da Marinha do Brasil, responsável pelos muitos no nosso programa nuclear. Estiveram presentes o Almirante Noriaki, o Almirante Bento e  o Almirante Ruivo.   Isso porque  o evento sobre o Programa Nuclear do Brasil incluiu uma apresentação das diferentes áreas destacando as  atividades e questões sobre produção de energia, aplicação de tecnologia e defesa, incluindo aspectos do desenvolvimento de nosso submarino de propulsão nuclear.

O Presidente da ABDAN, Celso Cunha, conversou com o Petronotícias sobre o evento: “É especialmente importante para nós estar participando de um evento 2do setor nuclear tão importante quanto este. Acho que nós mostramos a que viemos apresentando um trabalho para o público internacional de extrema competência e bastante confiante no desenvolvimento do nosso programa nuclear. Importante também termos reunidos aqui as empresas com a importância da Eletrobrás, Eletronuclear, Amazul, CNEN, a Nuclep e a INB. Isso mostra uma união em torno de uma causa comum. E isso é extremamente importante neste momento0”.

Cunha falou também sobre a importância das reuniões realizadas em busca de novos negócios para o setor nuclear no Brasil: “Com certeza esses contatos, o início do desenvolvimento de novos negócios e a manutenção de outros tantos é muito importante. Acompanhei aqui algumas reuniões das empresas brasileiras e senti que ficaram muito satisfeitas com o resultado. Essas empresas vão voltar com outra perspectiva do mercado nuclear, com amplas possibilidades. Não só na geração, mas no uso na agricultura, na medicina, na exploração do Urânio, em seu enriquecimento, a transformação do combustível nuclear, enfim. É um segmento que pode muito ajudar o nosso país nesse momento de crise de empregos. O setor nuclear pode criar, tem amplo potencial para isso, milhares de empregos. Não só no término de Angra 3, mas em novas usinas  e em setores científicos. Temos um grande potencial. E o desenvolvimento dele está chegando”.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of