VALLOUREC LANÇA PACOTE DE SOLUÇÕES DIGITAIS PARA O SETOR DE ÓLEO E GÁS

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) – 

DSC_0007A digitalização é uma tendência em toda a indústria. O setor de óleo e gás, claro, também passa por esse processo de mudança, acompanhando os demais segmentos da economia. De olho nisso, a Vallourec lançou uma marca englobando soluções inteligentes, combinando serviços físicos e digitais. Batizada de Vallourec.smart, a iniciativa visa o aumento de segurança operacional, a redução de custos operacionais, o controle de ativos, dentre outros objetivos. A novidade já começou a render bons frutos para a companhia. “Estamos com contratos fechados com algumas majors dentro da Vallourec.smart. Já temos pilotos em andamento e fechando alguns mais“, afirmou o Superintendente de Relações Institucionais e Comunicação da Vallourec, Hildeu Dellaretti. O lançamento deste pacote de soluções digitais vai ao encontro do novo momento do setor de óleo e gás brasileiro. A estratégia da companhia é acompanhar este cenário de retomada do segmento. “Nós achamos que já está havendo um pequeno movimento, mas a partir do ano que vem, teremos uma demanda maior. O setor de petróleo do Brasil tem tudo para voltar, até 2020, a ter relevância que teve no passado“, acrescentou o executivo.

Qual a estratégia com o lançamento desta nova marca?

O lançamento do Vallourec.smart vem culminando com a evolução digital. Estamos hoje passando por um processo de transformação. O mundo está mudando. A indústria de petróleo, devagar, está começando a mudar também, do ponto de vista da digitalização, do machine learning e da inteligência artificial. É uma indústria muito conservadora, que exige um nível de segurança muito elevado. Mas, não é por conta disso que não irá acompanhar [essa transição]. 

Poderia detalhar especificamente o que é o Vallourec.smart?

O Vallourec.smart é um conjunto de soluções, um pacote mais amplo. É uma plataforma de serviços para podermos a ampliar a oferta para nossos clientes e fideliza-los ainda mais. Ele é dividido em cinco blocos: design – serviços e ferramentas para auxiliar o design; sourcing; a parte de gestão de tubulares; instalação; e a parte de gestão de ativo. Como hoje a realidade é mais complexa, então estamos oferecendo uma solução mais completa. É um portfólio bem amplo, com uma diversidade que estamos oferecendo aos clientes, que muitas vezes contratavam até quatro empresas diferentes. 

Como foi o seu desenvolvimento?

Nós colocamos algumas pessoas dedicadas para desenvolver a ferramenta com alguns parceiros. Temos um lado de tecnologia de informação e automação muito forte. Conseguimos separar algumas pessoas para fazer essas ferramentas, que foram desenvolvidas por nós. Estarão disponíveis na web e em aplicativos mobile para agregar valor na gestão e na facilidade do dia a dia dos nossos clientes. 

Quais as principais soluções para o setor de óleo e gás?

Temos, por exemplo, o Probabilistic Design. É uma solução fantástica, porque conseguimos ter uma distribuição probabilística real da produção. Com essa ferramenta, é possível otimizar o design de uma coluna. No caso do pré-sal, com a camada de sal, é necessário colocar tubos mais resistentes naquela área. Dessa forma, evitamos que o cliente tenha o overdesign. Ou seja, ele não precisa colocar um coeficiente de segurança. Por outro lado, em função daquela análise probabilística, com dados reais, ele pode separar os tubos com maior resistência para suportar a parte mais complexa, que é a camada do sal. 

Uma outra questão interessante: sabemos que uma sonda hoje está na faixa de US$ 300 mil e US$ 350 mil. Temos uma série de soluções para otimizar o trabalho de descida na sonda. Desde embalagem até a questão da preparação da descida do Smart Tally. Tudo isso, ao invés de levar um dia, é possível de ser feito em um turno ou um turno e meio. 

Como estão as perspectivas de novos negócios?

Isso é uma realidade. Estamos com contratos fechados com algumas majors dentro da Vallourec.smart. Já temos pilotos em andamento e fechando alguns mais. Aquela fase que a empresa só vende o produto e presta assistência técnica apenas não é mais uma realidade. É preciso apresentar uma solução aos clientes, do contrário ele a buscará em outro lugar. O pacote te dá toda uma solução de serviços. E é customizado. O cliente pode escolher as soluções que realmente interessam para o seu negócio. 

Em relação ao pré-sal, quais são as novidades?

Fizemos várias ligas, em conjunto com a Petrobrás. Acompanhamos a estatal em toda essa exploração do pré-sal. Temos dois centros de pesquisa no Brasil, o que mostra a relevância [do país]. Nossos técnicos vieram acompanhando, ao longo de todos esses anos, a necessidade da Petrobrás. Atuamos em camada de pré-sal entre 3 mil e 5 mil metros de coluna. Desenvolvemos metalurgias e conexões especiais. Inclusive, algumas conexões foram desenvolvidas sob medida para a Petrobrás. Fizemos investimentos relevantes em um centro de testes e conexões, em Belo Horizonte (MG), único em todo o hemisfério sul. Tudo isso para atender a necessidade de Petrobrás, Shell, Equinor… e desenvolver conexões para o Brasil. 

Sob o ponto de vista de equipamentos e materiais, estamos acompanhando o que há de mais moderno. Temos vários desenvolvimentos em andamento para atender a área do pré-sal. E agora, com o Vallourec.smart, estamos agregando a parte digital. 

Como está a expectativa com o futuro do mercado?

As perspectivas são muito positivas, com os leilões do ano passado e desse ano. Estamos vendo outras operadoras vindo ao Brasil, a Chevron voltando, a Exxon vindo forte… estamos com a expectativa muito positiva. Simultaneamente, estamos fazendo nosso dever de casa para aumentar nossa competitividade. O Vallourec.smart é uma etapa desse processo. Nós achamos que já está havendo um pequeno movimento, mas a partir do ano que vem, teremos uma demanda maior. O setor de petróleo do Brasil tem tudo para voltar, até 2020, a ter relevância que teve no passado.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of