A ENERGIA NUCLEAR SERÁ DISCUTIDA NA COP24 COMO IMPORTANTE SOLUÇÃO DE PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA LIMPA

dsdsskjAgneta Rising, Diretora Geral da Associação Nuclear Mundial, vai falar a amanhã (6)  num evento paralelo da COP24, que está sendo realizado na Polônia,  organizado pela iniciativa Nuclear sobre o   Futuro da Energia Limpa. Ela apresentará os objetivos para se alcançar o objetivo do Projeto Harmony, um programa para  fornecer 25% da eletricidade mundial a partir de energia nuclear até 2050,  como parte de um mix de geração descarbonizado, elemento vital de uma resposta confiável às mudanças climáticas. Para isso, será necessária a construção de 1000 GWe de nova capacidade nuclear para trabalhar em conjunto com outras tecnologias de baixo carbono. A futura descarbonização do setor elétrico é fundamental para combater as mudanças climáticas. A produção global de eletricidade responde por 40% do total de emissões e o carvão e o gás ainda dominam a geração, produzindo 63% da eletricidade mundial.

A energia nuclear é uma fonte de energia de baixo carbono, uma energia considerada limpa.  As emissões médias do ciclo de vida da energia nuclear são 12g / kWh, semelhantes à energia eólica. Graças ao deslocamento de combustíveis fósseis, mais de 60 gigatoneladas de emissões de CO2 foram evitadas globalmente desde 1970. Descarbonizar o setor elétrico é um desafio considerável. Apesar dos investimentos maciços, as energias renováveis por si só não serão suficientes para alcançar a descarbonização necessária. Um estudo recente do Instituto de Tecnologia de Massachusetts mostra que o custo da descarbonização da eletricidade é muito menor quando a mistura inclui quantidades substanciais de energia nuclear junto com as energias renováveis.

A abundância de eletricidade de baixo carbono não será necessária apenas para os atuais usos da eletricidade. Maior uso de eletricidade limpa é a ferramenta preferida dsdsspara alcançar uma descarbonização profunda em outros setores, como o transporte. Houve desenvolvimentos significativos em 2018 que destacaram a importância da energia nuclear como um dos principais contribuintes para a mitigação das mudanças climáticas.

O mais recente relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, detalhando o que seria necessário para limitar o aquecimento global a 1.5ºC acima dos níveis pré-industriais.   A geração nuclear global excedeu 2500 TWh pela primeira vez em cinco anos em 2017, com o fornecimento nuclear de 10,5% das necessidades de eletricidade do mundo. Nove reatores nucleares com capacidade total de 10,4GWe entraram em operação este ano, o maior valor desde 1990. No ano que vem, 14 reatores com capacidade total de cerca de 15 GWe devem iniciar suas operações.

A Polônia, país anfitrião da COP24, anunciou em sua estratégia energética, publicada em 22 de novembro, que espera que sua primeira usina nuclear esteja em operação até 2033, com capacidade nuclear crescendo para 6-9 GWe até 2043. Estes desenvolvimentos são vitais para alcançar o objetivo Harmony da indústria nuclear. Mas, para acelerar esse progresso, será necessário que os governos promovam mudanças nas políticas para permitir que a energia nuclear dê sua contribuição total. Somente descarbonizando a geração de eletricidade, com a energia nuclear desempenhando um papel importante, se poderá  cumprir os compromissos do acordo de Paris.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of