Megabanner

INDICADOS POR ROBERTO CASTELO BRANCO PARA DIRETORIA DA PETROBRÁS, MESMO SENDO ALTOS EXECUTIVOS, TERÃO QUE ESPERAR 90 DIAS PARA ASSUMIREM

FFFFFFO novo Presidente da Petrobrás começou com pouco prestígio interno. Ele teve seu nome  indicado pelo governo Bolsonaro para dirigir a companhia, teve a presença do Ministro de Minas e Energia, Almirante Bento Albuquerque na sua posse, com seu nome aprovado na hora, mas suas indicações para  novos diretores da companhia terão   que esperar 90 dias  até que sejam aprovados.  Embora já anunciados,  Anelise Quintão Lara para Diretora Executiva de Refino e Gás Natural; Carlos Alberto Pereira de Oliveira para Diretor Executivo de Exploração e Produção; Lauro Cotta para Diretor Executivo de Estratégia, Organização e Sistema de Gestão e Rudimar Andreis Lorenzatto para Diretor Executivo de Desenvolvimento da Produção & Tecnologia,  acredite, terão que esperar. Em  que pese todos já serem funcionários de nível gerencial,  de ótimas reputações, respeitados internamente, tanto que foram indicados para as funções de diretoria,   terão que esperar três longos meses para que  os procedimentos internos de governança corporativa da companhia, para análise pelo Comitê de Indicação, Remuneração e Sucessão e deliberação do Conselho de Administração, recebam o sinal verde.  E para isso serão desperdiçados 90 dias. É quase inacreditável, mas é isso que a burocracia excessiva faz. Mais uma vez  a Petrobrás aponta no alvo e erra na mosca.

Nesta quinta-feira (10) a companhia divulgou uma nota dizendo que “em continuidade aos Comunicados ao Mercado,  informa que seu Conselho de Administração aprovou as dispensas de Solange da Silva Guedes, em 20/01/2019, do cargo de Diretora Executiva de Exploração e Produção e de Hugo Repsold Júnior, em 12/01/2019, do cargo de Diretor Executivo de Desenvolvimento da Produção & Tecnologia.” Diz ainda que  Rafael Salvador Grisolia, Diretor Executivo Financeiro e de Relacionamento com Investidores, exercerá interinamente os cargos de Diretor Executivo de Exploração e Produção e de Diretor Executivo de Estratégia, Organização e Sistema de Gestão. Isso mesmo. O diretor financeiro exercerá por 90 dias o setor em que o novo presidente da empresa classificou como estratégico: exploração e produção;   Eberaldo de Almeida Neto, Diretor Executivo de Assuntos Corporativos, exercerá interinamente o cargo de Diretor Executivo de Desenvolvimento da Produção & Tecnologia, além do cargo de Diretor Executivo de Refino e Gás Natural que já vinha acumulando. Isso mesmo. O diretor de assuntos corporativos será o diretor de refino e gás. Ambos os casos sem prejuízo de suas demais funções,  até que o Conselho delibere sobre os novos Diretores para essas posições.

2
Deixe seu comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

A BANDALHEIRA NA PETROBRAS AINDA NÃO ACABOU. QUANDO VAI COMEÇAR A DEVASSA PROMETIDA PELO BOLSONARO?

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

BOLSONARO PROMOVE MAIS UM MILITAR PARA O ALTO COMANDO DA PETROBRAS, SINALIZANDO O INÍCIO DA DEVASSA NA ESTATAL PETROLEIRA, CUMPRINDO ASSIM PROMESSA DE CAMPANHA. “Amigo particular” de Bolsonaro é indicado para gerência na Petrobras O salário dele na empresa passará de R$ 15 mil mensais para mais de R$ 50 mil Um capitão-tenente da reserva da Marinha classificado como “amigo particular” do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi indicado nesta quinta-feira, 10, para assumir a gerência executiva de Inteligência e Segurança Corporativa da Petrobras. Carlos Victor Guerra Nagem é funcionário da estatal há 11 anos e atualmente trabalha em Curitiba. Desde… Read more »