Megabanner

PRYSMIAN ENTREGARÁ DOIS SISTEMAS DE CABOS NO CAMPO DE PEREGRINO E BUSCA NOVOS NEGÓCIOS NO BRASIL

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) –

Rafael Tanaka - Prysmian GroupO grupo Prysmian anunciou recentemente que foi escolhido para fornecer tecnologia de cabeamento submarino para o campo de Peregrino, operado pela Equinor. A segunda fase de exploração do ativo consiste na instalação e operação de uma terceira plataforma fixa na área, que já conta com duas unidades deste tipo, além de um FPSO. A Prysmian irá fornecer dois sistemas para o projeto: o primeiro deles é o de transmissão de potência entre as plataformas; enquanto o segundo trata-se de um sistema umbilical. “O projeto foi totalmente realizado localmente, no Brasil. As equipes da Prysmian, parte em Vila Velha (ES) e parte em Sorocaba (SP), fizeram o projeto de fabricação desses sistemas. Eles foram projetados para um vida longa, de 30 anos, sem manutenção ou necessidade de intervenção”, detalhou o Gerente de Desenvolvimento de Produto da companhia, Rafael Tanaka. O executivo também afirma que o grupo está de olho nos recentes movimentos de companhias de petróleo e gás que estão chegando ao país, com o objetivo de conquistar novos contratos. “Falando de forma geral, temos acompanhado e estamos em contato com as empresas que estão entrando no Brasil. Temos interesse e estamos trabalhando para participar desses desenvolvimentos de novos campos que estão voltando a ser oferecidos no país”, disse.

O senhor pode detalhar como será o fornecimento da Prysmian na segunda fase de Peregrino?

Nós iremos fornecer dois sistemas. Um deles é o de transmissão de potência entre as plataformas. São cabos de energia e seus acessórios – que são conectados às plataformas e transmitem toda a potência utilizada para mover motores e controlar sistemas de produção de óleo. Tudo o que for utilizado de equipamento na plataforma vai receber energia através deste sistema que iremos fornecer.

E quanto ao segundo sistema?

O segundo sistema é um umbilical, que controla uma válvula de segurança que faz o controle de vazão do óleo em determinado pipeline. É um sistema muito importante, que ajuda em toda a segurança de uma operação offshore.

Quais foram as particularidades e características deste projeto?

O projeto foi totalmente realizado localmente, no Brasil. As equipes da Prysmian, parte em Vila Velha e parte em Sorocaba, fizeram o projeto de fabricação desses sistemas. Eles foram projetados para um vida longa, de 30 anos, sem manutenção ou necessidade de intervenção. Ele tem dará uma flexibilidade grande para a operadora, que terá um uptime alto. O sistema também foi projetado para ser facilmente instalado nas condições offshore. Por você estar fora da terra e instalando estes sistemas a partir de navios, existem dificuldades ligadas a isso. Mas, eles foram projetados para simplificar essa operação.

E quanto ao cronograma de trabalhos?

Parte dos sistemas já foi produzido. Uma segunda parte será feita agora durante o ano de 2019, com a integração posteriormente, também em 2019. Esse foi um projeto que começou em meados de 2018. Tivemos a fabricação e entrega de uma parte de sistemas em 2018 e a segunda parte será agora em 2019.

A Prysmian já teve experiências neste tipo de contrato recentemente no Brasil, certo?

FPSO PeregrinoSim. No caso de Peregrino, estamos na fase II. Já tínhamos fornecido uma solução também para a fase I, com algumas diferenças e particularidades. Para nós, foi um projeto bastante importante por reafirmar a qualidade de projeto de toda a nossa equipe. E, agora, a operadora voltou a nos contratar para a segunda fase. Além disso, temos sistemas semelhantes operando para a Petrobrás. Isso falando apenas do Brasil. A Prysmian tem uma série de outros tipos de sistema em todo o mundo.

O senhor poderia falar do desafio de produzir este tipo de tecnologia para o ambiente offshore?

A tecnologia foi feita pensando em todas as condições adversas que temos na operação offshore, como movimento de plataforma, sistemas que operam dentro d’água e efeitos de temperatura. Tudo isto tem que ser considerado. Existem soluções em termos de design, seleção de materiais, projeto, fabricação e controle de qualidade para garantir que todos os requisitos serão atendidos.

Como está a prospecção de novos clientes para oferecer este tipo de solução?

Falando de forma geral, temos acompanhado e estamos em contato com as empresas que estão entrando no Brasil. Temos interesse e estamos trabalhando para participar desses desenvolvimentos de novos campos que estão voltando a ser oferecidos no país. Com estas últimas rodadas de concessão que aconteceram no último ano e com alguns outros projetos, estamos participando de todos. Mas não posso entrar em detalhes.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of