DRESSER-RAND FOCARÁ EM NEGÓCIOS DE DIGITALIZAÇÃO, ENGENHARIA E FORNECIMENTO DE ENERGIA | PetroNotícias





DRESSER-RAND FOCARÁ EM NEGÓCIOS DE DIGITALIZAÇÃO, ENGENHARIA E FORNECIMENTO DE ENERGIA

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br)

Christian SchockO Brasil é um mercado que ganha bastante atenção do grupo Siemens. Por isso, o país também está com destaque no planejamento da Dresser-Rand, empresa que faz parte do conglomerado alemão. Fatores como diversificação de potenciais companhias atuantes nos leilões offshore, o foco da Petrobrás em exploração e produção e o considerável número de novas plataformas agendadas para licitação são alguns dos motivos que justificam o interesse, segundo o Global Localization Director da Siemens, Christian Schock.Em adição ao mercado de óleo e gás, outros segmentos como o químico e de geração de energia descentralizada também mostram sinais de crescimento, sem mencionar a contínua necessidade por otimizar ativos existentes em todos esses mercados“, afirmou. Schock ainda acrescenta que o grupo está atualmente trabalhando em novas oportunidades de projetos em óleo e gás e em outros segmentos. A ênfase da empresa, de acordo com o executivo, se dará em trabalhos de engenharia especializada, digitalização de novas e existentes soluções e em projetos de fornecimento de energia.

Quais são as perspectivas de negócios em óleo e gás para a Dresser-Rand no Brasil para este ano de 2019?

Atualmente, a Dresser-Rand, bem como outras marcas (Rolls-Royce O&G, Guascor, etc), fazem parte do conglomerado global da Siemens. No Brasil não é diferente e a capacidade destas empresas foi integrada à Siemens para oferecer produtos e, principalmente, soluções diferenciadas ao mercado. Com base neste completo portfólio e o aquecimento do mercado nacional, temos expectativas positivas para 2019. Alguns fatores, como diversificação de potenciais empresas atuantes nas licitações off-shore, o foco da Petrobras em exploração e produção, o considerável número de novas plataformas agendadas para licitação, aliado às necessidades de refino crescente, ao fortalecimento das regras de conteúdo local, a aparente redução na variação do preço do barril de petróleo, entre outros, são fatores que devem aquecer o mercado de óleo e gás no Brasil em 2019 e nos anos seguintes. Obviamente, alguns fatores políticos e econômicos sofrerão variações, mas, mesmo assim, a Siemens continuará a contribuir para o crescimento do País.

Em adição ao mercado de óleo e gás, outros segmentos como o químico e de geração de energia descentralizada também mostram sinais de crescimento, sem mencionar a contínua necessidade por otimizar ativos existentes em todos esses mercados.

Nesse cenário, estamos estrategicamente posicionados para atender a essa demanda com o mais completo portfólio de soluções de óleo e gás, além de geração de energia e serviços associados. Este portfólio é especialmente diferenciado no Brasil, pois contamos com capacidade de fabricação e pós-venda incomparáveis. Por meio de fábricas e equipes altamente especializadas, a Siemens Brasil está preparada para oferecer soluções, equipamentos e serviços com alto teor de conteúdo local, apoiando o crescimento do mercado e, consequentemente, do País.

O pré-sal brasileiro aumentará a necessidade de compressores para processamento de gás natural. Como a empresa avalia esse cenário, tendo em vista a capacidade da planta da Dresser-Rand em Santa Bárbara d´Oeste?

Realmente continuamos a observar um contínuo progresso na tecnologia empregada para extração, produção e processamento de gás natural, bem como petróleo. A Siemens acompanha tal evolução e, além de oferecer um extenso portfólio, emprega investimentos no desenvolvimento de novos equipamentos como compressores transônicos e turbinas com altíssima eficiência. Aliado aos produtos, a Siemens conta com capacidade de produção das soluções de compressão e geração destes produtos no Brasil. A fabricação local em Santa Barbara D’Oeste (SP) hoje alia know-how e capacidade fabril de produtos Rolls-Royce, Dresser-Rand e Siemens, hoje todos sob logotipo Siemens. A fábrica, construída em 2012, oferece capacidade de entregar equipamentos de compressão e geração de energia com alto teor de conteúdo local, fator de grande importância e valia para o mercado nacional. Esta relevância se estende através da indústria e da sociedade, com parceiros direta e indiretamente beneficiados pela produção local.

Além da fábrica de Santa Barbara D’Oeste, a Siemens Brasil conta com um dos maiores complexos industriais do Brasil, em Jundiaí (SP) e outras localidades que oferecem produtos associados a óleo e gás, além de serviços de pós venda, de engenharia e outros – todos conduzidos no Brasil.

O grupo Siemens tem atuado fortemente no setor de digitalização. A Dresser-Rand também oferece atualmente soluções do tipo para o setor de óleo e gás?

Certamente, pois o portfólio Siemens integra os benefícios e soluções em todas suas marcas, produtos e serviços. Na verdade, não diferenciamos internamente Dresser-Rand e Siemens, tampouco Rolls-Royce e outras marcas. Todas essas fazem hoje parte do conglomerado Siemens. Essa integração traz ao mercado o melhor de todas estas empresas em um ponto único de completas soluções. Tais ofertas vão desde estudos de engenharia, passando por completas soluções EPC até posse, operação e manutenção de ativos.

A digitalização fortalece os benefícios ao longo de todas estas etapas, de CAPEX a OPEX. Nas fases iniciais de projeto, a digitalização reduz prazos de entrega e otimiza estudos de engenharia, por exemplo. As preparações para digitalização reduzem custos de OPEX por meio da otimização de custos de manutenção, aumento de eficiência, centralização de controles, redução da necessidade de operações manuais, facilitação de estudos analíticos, entre outros. Um bom exemplo disso para o mercado de óleo e gás é o conceito que apresentamos como Topside 4.0, aplicável para plataformas off-shore e similares. Neste conceito, todos os benefícios mencionados podem ser aplicados, oferecendo ao mercado maximização de eficiência, redução de custos e diminuição de equipe a bordo em ate 100%.

Existem novos contratos sendo negociados com clientes do setor de óleo e gás?

Sim, atualmente trabalhamos em oportunidades no mercado de óleo e gás e outros. Além de licitações públicas e cotações para diversos clientes, a Siemens também procura trazer oportunidades de valor para parceiros e para a sociedade, por meio de projetos de eletrificação, geração, otimização de processos e similares.

Qual será o foco de atuação da empresa no setor de óleo e gás no Brasil?

A Siemens está estrategicamente posicionada no Brasil com inigualável capacidade local, o que progressivamente a torna mais relevante para este mercado. Além disso, essa vantagem competitiva nos proporciona a chance de manter o trabalho de desenvolvimento da indústria local por meio de nossos fornecedores e parceiros. Aliado a capacidade de fabricação local, daremos foco para o incremento de trabalhos de engenharia especializada, digitalização de novas e existentes soluções e também focaremos em projetos de fornecimento de energia, todos utilizando a vasta capacidade local da Siemens no Brasil.

A definição de um calendário de novos leilões e outras medidas regulatórias recentes tem sido positivas para o fechamento de novos negócios?

O desenvolvimento de medidas regulatórias que temos acompanhado em relação a conteúdo local e possibilidade de novas empresas participarem de licitações de campos exploratórios, por exemplo, são positivas para o fortalecimento da indústria nacional e desenvolvimento da economia local. Tais regulamentações devem suportar um fortalecimento local continuado e que, ao mesmo tempo, precisa estar aliado a uma economia nacional estável para que haja crescimento sustentável e continuado da indústria brasileira. Ao longo dos anos, observamos flutuações econômicas e regulatórias que dificultam a atratividade e manutenção de investimentos na indústria de óleo e gás brasileira.

Entretanto, independentemente dessas flutuações, a Siemens, ao longo do tempo, segue apostando no desenvolvimento da capacidade local. Em função de largo portfólio, somos capazes de aliar a capacidade entre seus negócios e habilidade de entregar alto teor de conteúdo local em equipamentos e serviços.

Com o alinhamento destes fatores, creio que veremos novamente maior desenvolvimento da indústria de óleo e gás no Brasil e ficaremos satisfeitos em continuar contribuindo para tal. Os grandes investimentos feitos pela Siemens no Brasil são exemplos de sucesso de localização, reconhecidos pelo mercado. Tal condição posiciona a empresa como fornecedora de alto valor para novos projetos e desenvolvimento do País.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of