Megabanner

RESERVAS PROVADAS DA PETROBRÁS EM 2018 CAÍRAM 3,8%

plataformaAs reservas provadas da Petrobrás em 2018 ficaram em 11,957 bilhões de barris de óleo equivalente (boe), uma queda de 3,8% na comparação com o ano anterior – quando o volume registrado foi de 12,415 bilhões de boe. Os dados seguem os critérios estabelecidos pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis / Society of Petroleum Engineers (ANP/SPE).

A estatal também declarou que conseguiu repor 96% do volume produzido, desconsiderando os efeitos dos desinvestimentos realizados no ano passado. Para tal, a empresa fez a perfuração de novos poços, além de ter tido respostas positivas à injeção de água e um bom desempenho dos reservatórios no pré-sal das bacias de Santos e Campos. A relação entre o volume de reservas provadas e o volume produzido é de 13,9 anos.

A companhia acrescentou ainda que as operações de desinvestimentos proporcionaram a monetização antecipada de 0,421 bilhão de boe referentes a: cessão de direitos de 35% da participação do campo de Lapa e 22,5% da participação dos campos de Berbigão, Sururu e Oeste de Atapu para a Total; cessão de 25% do campo de Roncador, concretizando a parceria estratégica com a Equinor; e formação da Joint Venture da Petrobras América Inc. com a Murphy Exploration & Production Co.

Já segundo os critérios da US Securities and Exchange Commission (SEC), as reservas da Petrobrás em 2018 ficaram em 9,606 bilhões de barris de óleo equivalente, contra 9,752 no ano de 2017.

3
Deixe seu comentário

avatar
3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Luciano Seixas Chagas Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
trackback
Luciano Seixas Chagas
Visitante
Luciano Seixas Chagas

Com as “parcerias”nos Campos do pós-sal, as vendas de ativos novos de pré-sal tanto campos como acumulações além falta de investimentos em novas descobertas as reservas, todas, e os recursos contingentes cairão mais ainda e alem disso não resolveremos os problemas brasileiros. É sempre assim. O urgente predomina e o importante que se dane. Todas as vendas , or preço de banana, sob o discurso que a prioridade, para os dirigentes pretéritos e atuais, eram os invendáveis ativos de E&P, que foram fartamente vendidos. Além disso, dos ativos do upstream também vendemos os do mid e downstream sob o falso… Read more »

trackback

[…] Acesse o link e confira a matéria completa […]