ESPANHA TRANSFORMA-SE DE EXPORTADORA PARA IMPORTADORA DE ENERGIA PRODUZIDA NO MARROCOS

WWWWA Espanha quase nunca precisou do Marrocos energeticamente. Muito pelo contrário. Entre os dois países existem duas interconexões de eletricidade e é normal que a Espanha exporte eletricidade para o país vizinho. Mas desde dezembro do ano passado, o saldo da interconexão foi revertido. Agora quem exporta eletricidade é o Marrocos. A causa está nos preços. É assim que o mercado funciona.  Quando o preço é mais barato na Espanha, quando exporta, quando é mais barato em outro país, a Espanha compra eletricidade o mais barato possível. Acontece normalmente com a nuclear francesa, embora ultimamente essa troca tenha, por vezes, um saldo de exportação para a Espanha.

Historicamente, o balanço com o Marrocos é negativo, mas desde dezembro ele se virou e o Marrocos já consegue produzir energia a preços baixos e importar sua eletricidade. Isso aconteceu exatamente no momento em que o Marrocos iniciou uma usina térmica a carvão de 1,4 GW de potência,  produzindo a preços competitivos. Não está no sistema europeu ETS de direitos de emissão de carbono e, portanto, sua produção térmica é muito mais barata que a espanhola. Não paga o preço do CO2. É por isso que a Espanha está agora empenhada em comprar eletricidade do Marrocos dessa usina termelétrica. A  Espanha está passando pela descarbonização de sua economia, mas começa a comprar eletricidade poluidora do país vizinho.

A Espanha deu o toque final à mineração de carvão desde o último dia 1 e está em processo de fechamento de suas usinas termelétricas que serão desativadas no período de 2020-2025. Grande parte das plantas ter colocado o fechamento em 2020. Plantas Compostilla e Andorra (Endesa), Lada e Velilla (Iberdrola) e três da Naturgy, estarão abandonando a produção de carvão térmico em meados do próximo ano. O governo está trabalhando em uma transição justa em que diferentes planos de revitalização para as áreas afetadas serão desenvolvidos com centenas de milhões de euros em ajuda.  A usina termelétrica que iniciou o Marrocos em dezembro é a Safi, com 1.386 MW de potência, com duas unidades de 693 MW cada. Sua produção bruta chegará a 10.000 GWh. Este projeto foi lançado por empresas como a Engie e a Mitsui e possui tecnologia de ponta. Espera-se que produza 25% da demanda de eletricidade do Marrocos e seu investimento tenha ultrapassado 2.500 milhões de euros.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of