CONSÓRCIO DAMEN SAAB EMPOLGA FORNECEDORES NACIONAIS NO PROJETO PARA A CONSTRUÇÃO DAS CORVETAS DA MARINHA | PetroNotícias





CONSÓRCIO DAMEN SAAB EMPOLGA FORNECEDORES NACIONAIS NO PROJETO PARA A CONSTRUÇÃO DAS CORVETAS DA MARINHA

2211Integrantes do Consórcio Damen Saab Tamandaré falaram sobre o comprometimento em promover o desenvolvimento de tecnologia e inovação no Brasil para centenas de representantes de indústrias locais, de pequeno e médio portes, com potencial capacidade de fornecimento para a construção das quatro corvetas da Classe Tamandaré para a Marinha do Brasil. Alencar Leal, diretor de vendas da Saab do Brasil abriu as apresentações e reforçou a disposição do Consórcio Damen Saab Tamandaré em promover o desenvolvimento da indústria local e fazer uma ampla transferência de tecnologia e inovação às empresas brasileiras, além de estabelecer uma parceria sólida e de longo prazo com o Brasil. De acordo com o executivo, o grupo tem forte confiança no país. A decisão da Marinha do Brasil pela melhor proposta para a construção das quatro corvetas da Classe Tamandaré está prevista para acontecer em março desse ano.

 A Damen e a Saab têm uma parceria estratégica que iniciou na Holanda, no passado, e hoje, se estende ao Brasil para o projeto CCT. As empresas parceiras, integrantes 222222do consórcio, têm um histórico de parcerias mútuas no Brasil e no mundo. A  Damen e a Wilson Sons Estaleiros já trabalharam juntas em mais de 90 projetos; a CONSUB, atua com a Marinha do Brasil há mais de 20 anos e o a brasileira WEG, desenvolvem projetos em parceria há mais de 10 anos:  ”A longa data de parceria entre as empresas integrantes do Consórcio Damen Saab Tamandaré fomenta o entrosamento e abrevia a linha de aprendizagem do projeto, fazendo com que todos os envolvidos executem seus trabalhos de forma mais assertiva e eficaz. Os canais de transferência de tecnologia e conhecimento já estão alinhados e este esclarecimento otimiza os planos do projeto”, explicou Leal.

Eduardo Valença, gerente comercial e suprimentos da Wilson Sons, reforçou que a empresa é um estaleiro integrador e não um projetista, ou seja, tem know-how e mão de obra qualificada para lidar com novos trabalhos. Valença explicou que a empresa está preparada para incorporar o projeto Tamandaré imediatamente, a fim de operacionalizar a construção das Corvetas com um fluxo de trabalho muito alinhado quanto à transferência de tecnologia. Quanto à oportunidade para a indústria local, os executivos do consórcio afirmaram que, além de receber a transferência de tecnologia e o reforço de conhecimento de anos adquiridos pelas empresas integrantes do consórcio, as companhias brasileiras terão a oportunidade de fazer parte da cadeia global de suprimentos de empresas como a Saab e a Damen.  “Essa é uma realidade que já existe em outros projetos ao redor do mundo. Certamente, este processo pode acontecer com fornecedores e empresas brasileiras. A exemplo da WEG, uma empresa 100% brasileira, que já é parceira de longa data da Damen e, hoje, faz parte da cadeia de fornecimento mundial da companhia holandesa”, disse Wolter ten Bokkel Huinink, diretor de projetos da Damen.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of