FIESP REAGE COM INDIGNAÇÃO AO AUMENTO DE 35% IMPOSTO NAS TARIFAS DE GÁS PARA AS EMPRESAS DE SÃO PAULO

eeeeA Federação das Indústrias de São Paulo reagiu de forma dura ao amento imposto ao preço do gás no valor de 35% de um dia para o outro. Para lembrar, na ultima sexta-feira(1), foi anunciado um aumento duro, amargo para os setores da indústria de São Paulo que  foram surpreendidos com uma  tarifa do gás na área da concessão da Comgás. Foi uma alta de 33%. A última notícia sobre os preços do gás havia sido divulgada pela Arsesp em outubro, o que fez com que os consumidores não soubessem qual seria a intensidade do reajuste. As indústrias estimavam que o reajuste seria entre 15% e 18%, e não de 33%,

Nesta sexta-feira(8), uma semana depois, “A Fiesp divulgou uma nota  dizendo que ela repudia o reajuste absurdo de 35% em média das tarifas de gás natural do Estado de São Paulo, anunciado pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (ARSESP) em 1º de fevereiro, para aplicação imediata. Não há empresa capaz de lidar com variação abrupta de 35% no custo de qualquer insumo.”

Paulo Skaff, presidente da federação, disse que “ Um reajuste dessa magnitude é uma afronta. Isso atinge a competividade e a saúde financeira das indústrias e eleva o custo do produto final, afetando toda a sociedade. É preciso que a ARSESP tome medidas para atenuar esse aumento, uma vez que é impossível absorver esse impacto de um dia para o outro.” A Fiesp diz que  espera que a ARSESP encontre uma solução razoável para evitar um desequilíbrio de mercado e prejuízo às empresas e aos consumidores.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of