CHINA DECIDE REFORMAR SEU SETOR DE ENERGIA E CRIAR UMA EMPRESA ESTATAL PARA OLEODUTOS E GASODUTOS | PetroNotícias





CHINA DECIDE REFORMAR SEU SETOR DE ENERGIA E CRIAR UMA EMPRESA ESTATAL PARA OLEODUTOS E GASODUTOS

wwwwMudanças no setor de energia da China, que decidiu criar uma companhia nacional de oleodutos e gasodutos. É a primeira medida para a reforma antecipada do setor de energia chinês, depois da decisão do planejador estatal do país, a Comissão Nacional de Reformas.  A criação da empresa de gasodutos foi mencionada no relatório de trabalho dessa  comissão e divulgado durante a reunião anual do Congresso Nacional do Povo. A formação de uma nova empresa com essas características  ajudaria a reformar o setor energético e separar os negócios de transmissão e vendas e remover impedimentos à exploração de petróleo e gás, segundo o relatório. Não foi informado mais detalhes sobre a empresa ou o momento de sua criação.

A Comissão também repetiu sua meta de acelerar a exploração doméstica de petróleo e gás. O governo do presidente Xi Jinping  planeja há anos transformar em uma nova empresa alguns dos 112 mil quilômetros de dutos de petróleo, gás e combustíveis mantidos por gigantes da energia estatal, liderados pela China National Petroleum. Essa nova empresa estatal está sendo vista como um passo fundamental para a liberalização do mercado de petróleo e gás. Especialista de Hong Kong acreditam que  a medida é a maior reforma em décadas na China.

1
Deixe seu comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Luciano Seixas Chagas Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Luciano Seixas Chagas
Visitante
Luciano Seixas Chagas

Incrível. Enquanto a China capitalista, que cresce a razão de 6,5% a/a, cria empresas de dutos, nós inteligentes, desejosos do capitalismo absoluto, ímpar, que crescemos a razão de 1,1% a/a, vendemos os dutos ou obrigamos a Petrobras a vender os seus, já assentados, pois somos um País pujante, líder na primeiro mundo e não precisamos de uma petrolífera integrada. Assim, de fakes em fakes, construímos uma nação completamente fadada ao ostracismo.