OTC HOUSTON É MARCADA PELO INTERESSE INTERNACIONAL NO LEILÃO DA CESSÃO ONEROSA E PARCERIAS COM EMPRESAS BRASILEIRAS | PetroNotícias





OTC HOUSTON É MARCADA PELO INTERESSE INTERNACIONAL NO LEILÃO DA CESSÃO ONEROSA E PARCERIAS COM EMPRESAS BRASILEIRAS

Pavilhão Brasileiro OTC Houston 2019HOUSTON – Por Fabiana Rocha- Público interessado e boas expectativas estão marcando a Offshore Technology Conference (OTC 2019). O interesse do mercado internacional de petróleo e gás no Brasil tem se mostrado grande durante o evento, já que todas as sessões relacionadas ao país atingiram capacidade máxima. Algumas palestras oficiais foram promovidas pela OTC com foco no Brasil, incluindo um café da manhã com a Petrobrás, palestra-almoço com o secretário de Petróleo, Gás e Biocombustíveis do ministério de Minas e Energia, Márcio Félix, e um painel dedicado ao detalhamento do projeto de Teste de Longa Duração da área de Libra, no pré-sal.

O leilão do excedente da Cessão Onerosa é a grande aposta para atrair ainda mais empresas para o Brasil. Com um potencial de dobrar as reservas de óleo do país, a rodada deve ser realizada em outubro deste ano e é considerada como uma oportunidade única para expansão da demanda por bens e serviços para a indústria nacional. Nesta semana, o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Ministro José Múcio Monteiro, recebeu os documentos técnicos que formam o processo de revisão do contrato do Excedente da Cessão Onerosa, bem como da modelagem econômica. Após a manifestação do direito de preferência da Petrobrás, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) vai avaliar a posição da empresa e dará seguimento com a disponibilização das minutas de pré-Edital e contrato do leilão.

2

O secretário de Petróleo, Gás e Biocombustíveis do ministério de Minas e Energia, Márcio Félix

A formação de parcerias também ganha fôlego durante o encontro. A Repsol Sinopec Brasil, a Ouro Negro e a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) anunciaram um acordo para o desenvolvimento conjunto de um sistema robótico modular autônomo para operar e inspecionar poços de petróleo. De acordo com as empresas envolvidas no projeto, a nova tecnologia reduzirá os custos, especialmente aqueles relacionados à exploração de poços e aos riscos operacionais.

Na Repsol Sinopec Brasil investimos em tecnologias inovadoras, buscando um maior grau de automatização em nossas operações para nos ajudar a aumentar sua segurança e gerar energia de forma mais sustentável e eficiente“, destacou a gerente de Pesquisa e Inovação da Repsol Sinopec Brasil, Tamara Garcia.

D5lb5TnWwAAurNy.jpg large

Missão empresarial brasileira participou de diversos encontros. Foco era mostrar como empresas nacionais podem abrir operações nos EUA

Conforme noticiamos, um dos grandes temas desta OTC tem sido a questão tecnológica. A Petrobrás, por exemplo, fez uma apresentação onde afirmou que a inovação é uma das prioridades de sua agenda. No radar da estatal, estão soluções como gêmeos digitais (digital twins) para ajudar a otimizar a produção, separação de CO2 e gás, sistemas de supervisão de segurança e inspeção autônoma focada em segurança.

A Arena de palestras organizada pela Organização Nacional da Indústria de Petróleo (ONIP), dentro do Pavilhão Brasil, atraiu o interesse de participantes estrangeiros. O objetivo principal foi mostrar o potencial que o Brasil apresenta para receber novos investimentos. O presidente da Firjan e do presidente do Conselho Deliberativo da ONIP, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, destacou o novo momento de conexão entre os elos da cadeia de fornecedores do mercado de petróleo e gás, também refletido na nova identidade visual da organização: “Não tenho dúvidas quanto ao potencial que o Brasil apresenta para o mercado de óleo e gás mundial e a ONIP está renovada e mais forte que nunca para apoiar o mercado”.

544Além disso, existe o interesse dos brasileiros que querem fincar os pés em território americano. Uma missão empresarial de internacionalização promovida pela Apex-Brasil participou de visitas técnicas e palestras. O grupo, formado por 45 executivos de 20 empresas, teve encontros com especialistas do mercado de óleo e gás do Texas. Também foram realizadas apresentações de cases de empresas nacionais que fazem negócios nos EUA, como a Radix, Intelie e Technofink.

Ontem, segundo dia (7) da OTC, a programação de palestras do Pavilhão Brasil focou em apresentar a visão das empresas que atuam no Brasil sobre o oceano de oportunidades do país, com palestras de representantes da Petrobrás, Equinor, Total, BHGE, Siemens e Total. Nesta quarta-feira(8), haverá a sessão BRATECC, com palestra sobre o novo mercado de gás natural no Brasil, com Márcio Félix, do MME. Depois, à tarde, terá debate com Adriano Bastos, BP, e José Leite, Sebrae. Por fim, encontro com ONIP e Apex-Brasil.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of