ROSATOM GARANTE CONSTRUÇÃO DE MAIS DOIS REATORES NUCLEARES NO IRÃ, APESAR DAS SANÇÕES AMERICANAS | PetroNotícias





ROSATOM GARANTE CONSTRUÇÃO DE MAIS DOIS REATORES NUCLEARES NO IRÃ, APESAR DAS SANÇÕES AMERICANAS

aO projeto da Rosatom para construir usinas nucleares em Bushehr não foi afetado pelas atuais tensões em torno das sanções dos Estados Unidos contra o Irã. Em resposta à questão de saber se os últimos desenvolvimentos em torno do acordo nuclear com o Irã afetarão os projetos nucleares do país, o diretor-geral da Rosatom, Alexey Likhachov (foto à direita), disse: “A Rosatom sempre cumpriu e está cumprindo todas as suas obrigações em todos os seus projetos internacionais”. A Bushehr 1, de fabricação russa, é a primeira unidade de energia nuclear no Oriente Médio. Ela foi conectada à rede nacional em de setembro de 2011. As unidades 2 e 3 de Bushehr devem ser concluídas em 2024 e 2026, respectivamente. A subsidiária Rosatom ASE, que é a empreiteira geral do projeto Bushehr, e a Companhia de Produção e Desenvolvimento de Energia Nuclear do Irã, assinaram um contrato EPC para construção das unidades em Bushehr em novembro de 2014. As duas unidades VVER-1000 serão construídas com a Geração. III + tecnologia, incluindo os mais recentes recursos de segurança, e têm uma capacidade combinada de 2100 MWe.

O presidente da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi (foto à esquerda), disse que a construção das duas novas unidades ajudará o Irã a suprirfff suas necessidades de energia e economizará seus recursos naturais, evitando o uso de 22 milhões de barris de petróleo e a propagação de 14 milhões de toneladas de poluentes no ar. O primeiro vice-presidente iraniano, Ishaq Jahangiri, afirmou que o direito do Irã de construir usinas nucleares foi baseado na aplicação pacífica da energia nuclear, conforme delineado no Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA).

O JCPOA foi assinado em julho de 2015 pelo Irã e o E3 / UE + 3 (China, França, Alemanha, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos), e implementado em janeiro de 2016. Segundo seus termos, o Irã concordou em limitar suas atividades de enriquecimento de urânio, eliminar seu estoque de urânio médio enriquecido e limitar seu estoque eswwde urânio de baixo enriquecimento nos próximos 15 anos.

O acordo abriu caminho para o levantamento de sanções econômicas relacionadas ao nuclear impostas contra o Irã, mas o presidente americano, Donald Trump, anunciou em maio do ano passado o término da participação dos Estados Unidos no JCPOA, impondo sanções ao Irã. O presidente iraniano, Hassan Rouhani (foto abaixo) disse que, a menos que os poderes mundiais protejam a economia iraniana das sanções dentro de 60 dias, o Irã começará a enriquecer urânio além dos limites permitidos. Em resposta, o Alto Representante da União Europeia e os Ministros dos Negócios Estrangeiros da França, Alemanha e Reino Unido 121afirmaram em uma declaração conjunta hoje que continuam “totalmente comprometidos com a preservação e a plena implementação” do JCPOA.

“Pedimos veementemente ao Irã que continue a implementar seus compromissos sob o PECA na íntegra, como tem feito até agora, e que se abstenha de quaisquer medidas escalonadoras. Nós rejeitamos quaisquer ultimatos e avaliaremos o cumprimento do Irã com base no desempenho do Irã em relação aos seus compromissos nucleares sob o JCPOA e o Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares. A esse respeito, lembramos o papel fundamental da Agência Internacional de Energia Atômica no  monitoramento e verificação da implementação pelo Irã de seus compromissos nucleares. Ao mesmo tempo, lembramos nossos próprios compromissos firmes sob o acordo, inclusive no que diz respeito ao levantamento de sanções para o benefício do povo iraniano. A este respeito, lamentamos a reimposição de sanções pelos Estados Unidos após sua retirada do JCPOA “.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of