WÄRTSILÄ AVANÇA NO FORNECIMENTO DE NOVOS SISTEMAS PARA TRATAMENTO DE ÁGUA DE LASTRO

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) –

Gabriel SiqueiraA Wärtsilä conquistou recentemente os seus primeiros contratos na América Latina para fornecimento de tecnologia para o tratamento da água de lastro. E logo após o anúncio desse novo negócio, a companhia já se prepara para fechar novos acordos dentro desse nicho de mercado. É o que revela o Gerente de Vendas de Marine Business da empresa, Gabriel Siqueira. “Esperamos fechar o fornecimento de dois sistemas nos próximos dias e ter dois outros sistemas vendidos até o final do ano”, afirmou. O executivo comenta ainda sobre a expectativa em torno da retomada da indústria offshore a partir da contratação de sondas e FPSOs. “Há também uma expectativa por mudanças que possibilitem o ressurgimento da indústria de construção naval de maneira sustentável”, acrescentou. Siqueira ainda conta que uma novidade que a Wärtsilä pretende apresentar ao mercado são os projetos de hibridização de instalações, incluindo sondas, PSVs/PLSVs e até rebocadores e empurradores fluviais.

Qual a importância deste primeiro contrato na América Latina voltado ao tratamento da água de lastro?

Para a Wärtsilä, estar presente em nossos clientes, em suas ações e iniciativas para cumprir com os padrões ambientais é muito importante. Este contrato não só tem um valor comercial, marcando nossa presença de liderança no mercado de sistemas para o tratamento de água de lastro, mas também um valor emocional de participar com nosso clientes em seus processos de melhoria para o cuidado do meio ambiente.

Quais as perspectivas futuras de novos negócios dentro desse nicho de mercado no Brasil e na América Latina?

Na medida em que o apelo pela preservação do meio ambiente cresce e passa a se tornar política de nossos clientes, ou pelo estabelecimento de normas e regulações restringindo a troca e descarte de água de lastro, a expectativa é que este nicho de mercado cresça.

Existem outras negociações em andamento?

Temos novas oportunidades hoje, graças a esses contratos, gerando muita demanda por informações e negócios. Esperamos fechar o fornecimento de dois sistemas nos próximos dias e ter dois outros sistemas vendidos até o final do ano.

O senhor poderia ressaltar as vantagens da tecnologia de Electro-cloração?

AQUARIUS®EC tem vantagens mais importantes para os processos de manutenção e operação, mas o ponto principal que faz parte da exigência do cliente é a quantidade de m3 / hr tem uma faixa de operação de até 4000m3 / h em um único sistema, que está em conformidade com sua classe e aprovado por IMO, AMS e USCG. Permitindo navegar pelos principais portos e rotas do mundo.

Como avalia o momento atual de negócios no setor naval brasileiro como um todo?

Há uma expectativa pelo reaquecimento da indústria offshore, com a contratação de sondas e FPSOs que naturalmente demandarão toda a cadeia de serviços. Há também uma expectativa por mudanças que possibilitem o ressurgimento da indústria de construção naval de maneira sustentável. Outra frente é o mercado de navegação fluvial, que será fundamental para o escoamento eficiente da produção agrícola do Centro-Oeste e Norte.

Pode nos contar quais novidades a Wärtsilä pretende apresentar ao setor naval daqui em diante?

Sem dúvidas, a grande novidade são os projetos de hibridização de instalações, incluindo sondas, PSVs/PLSVs e até rebocadores e empurradores fluviais, que possibilitarão a redução de emissões, consumo de combustível e custos operacionais.

1
Deixe seu comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

PRECISAMOS DE MAIS CUIDADOS PARA EXPLORAR A NOSSA RIQUEZA NO MAR Há tempo venho denunciando um grave problema existente na Petrobrás na exploração de óleo no pre e pos sal brasileiro. Refiro-me à questão do declínio produtivo de óleo na Bacia de Campos, que decorre do aumento contínuo do percentual de água produzida como elemento do processo. Constata-se, há bastante tempo, uma curva produtiva de óleo inversamente proporcional à captação de água produzida. Além do decaimento produtivo de óleo e do aumento de água produzida, não observamos menção por parte da mídia de uma questão relevante, decorrente desta constatação, qual… Read more »