MÉTODO POTENCIAL FECHA PARCERIAS PARA ATUAR EM DESCOMISSIONAMENTO E MIRA EM NOVOS CONTRATOS | PetroNotícias





MÉTODO POTENCIAL FECHA PARCERIAS PARA ATUAR EM DESCOMISSIONAMENTO E MIRA EM NOVOS CONTRATOS

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) –

Edson Siqueira_Método Potencial EngenhariaExiste uma grande expectativa no meio da empresas de engenharia do Brasil por conta do cronograma de descomissionamento de plataformas offshore da Petrobrás. Isso porque é uma modalidade de serviço que certamente aquecerá o mercado com novos e importantes negócios. De olho nessa oportunidade, a Método Potencial está se movimentando para aproveitar as chances que estão para surgir nesse segmento. O gerente de Orçamentos e Propostas da empresa, Edson Siqueira, explica que um dos primeiros passos foi procurar por companhias internacionais com experiência neste tipo de atividade para fechar parcerias. “Depois de muita prospecção, encontramos duas empresas da costa dos EUA que já fazem descomissionamento em águas rasas dentro da plataforma continental – a Shore Logistics e Mars”, afirmou. A Método também conta com o apoio da Triunfo Logística neste consórcio. Agora, as próximas etapas são prospectar novos negócios e fechar o primeiro contrato. “A Petrobrás está prevendo, para o próximo ano, descomissionar mais 10 plataformas. Nós vislumbramos para o segundo semestre ou início do próximo ano um contrato que viabilize a nossa aliança”, acrescentou.

Como a empresa está se preparando para atuar neste mercado de descomissionamento?

Desde o início do ano, fizemos várias prospecções com empresas internacionais de tecnologia que possuem expertise no descomissionamento de plataformas. Desde janeiro, estávamos selecionando as empresas que entendemos como mais certas para participar dos BIDs de descomissionamento de plataformas da Petrobrás. Fizemos várias prospecções no Golfo do México, na costa americana e na região da Noruega. Depois de muita prospecção, encontramos duas empresas da costa dos EUA que já fazem descomissionamento em águas rasas dentro da plataforma continental – a Shore Logistics e Mars. Selecionamos essas duas empresas para serem nossas parcerias com tecnologia e equipamentos.

Como vão funcionar estas parcerias?

Temos hoje um contrato de aliança para executar os contratos em águas brasileiras. A partir deste primeiro BID que foi realizado para o descomissionamento da plataforma de Cação e para os demais, temos um MOU [Memorando de Entendimento] de parceria com essas empresas, que vão se juntar com a Método e a Triunfo Logística. 

E a partir de que momento o consórcio de empresas vislumbra conquistar negócios dentro deste nicho?

Na disputa pelo contrato de Cação, ficamos em terceiro lugar. A EPIC ficou em primeiro lugar e o resultado está em avaliação. A Petrobrás está prevendo, para o próximo ano, descomissionar mais 10 plataformas. Nós vislumbramos para o segundo semestre ou início do próximo ano um contrato que viabilize a nossa aliança.

Quais as novidades que o consórcio pretende trazer ao mercado brasileiro em termos de tecnologia?

Temos um sistema de monitoramento por robô, que faz a filmagem em águas profundas. O sistema de corte das jaquetas em águas profundas também é uma inovação que será trazida dos Estados Unidos. É um diferencial. Temos ainda um guindaste, que estamos trazendo do exterior, para fazer a remoção da plataforma de forma completa.

Outra novidade é que, durante o processo, a plataforma será segmentada em três partes. Isso vai otimizar muito o tempo de ação em água. Ela será levada para terra onde será feita a desmontagem.

O senhor pode explicar qual será o papel da Método nesse tipo de serviço de descomissionamento?

A Método vai atuar no gerenciamento do empreendimento, de forma global, planejamento do contrato e também na parte de desernegização de equipamentos a bordo. Também daremos suporte com estudos e apoio nos planos de rigging

E quais as perspectivas da empresa com esse mercado de descomissionamento?

Hoje, a Petrobrás já tem mapeado aproximadamente 50% das plataformas mobilizadas em ativos com programação de descomissionamento. É um mercado que tem uma grande expectativa de negócios. Então, desde quando vislumbramos esta atividade, estamos trabalhando de forma bem efetiva com estudos e análise de riscos.

Eu acho importante também ressaltar o âmbito do meio ambiente. É algo que a Petrobrás tem levado bastante em consideração, deixando bem claro que esta é uma prioridade ao realizar intervenções em alto mar. A questão ambiental é um compromisso de todos. 

Como a Método fazer frente aos desafios ambientais?

Para este tipo de tarefa, estamos entrando em contato com consultorias específicas do meio offshore, para que nos auxiliem com relação à mitigação desses riscos. Estamos conversando com essas empresas para avaliarmos bem os riscos ambientais em todas as nossas ações.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of