CRESCE A EXPECTATIVA DAS REGRAS DA ANP PARA DESCOMISSIONAR NAVIOS E PLATAFORMAS

ddeeO descomissionamento de plataformas pode  gerar mais de   R$ 50 bilhões em investimentos para a indústria naval nos próximos anos. O Rio de Janeiro poderá concentrar as obras com o encerramento definitivo de 21 plataformas de petróleo antigas instaladas na Bacia de Campos, no norte fluminense, que precisam ter seus equipados desmontados e desinstalados. As petroleiras são obrigadas a realizar o chamado descomissionamento de plataformas, que prevê atividades de desinstalação e desmontagem de equipamentos, quando a atividade em um campo deixa de ser viável ou então quando a vida útil da unidade de produção chega ao fim. Ao realizar o descomissionamento, a petroleira precisa restabelecer as condições originais do local onde foi instalado o equipamento.

Até o próximo mês de outubro, A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) deverá publicar uma atualização da regulamentação para desativação de instalações, devolução de áreas, alienação e reversão de bens dos poços de petróleo. O objetivo da revisão das regras existentes, criadas em 2006, é adequá-las aos demais regulamentos de segurançadfvcsx operacional e meio ambiente, editados posteriormente à sua publicação, e à Lei de Partilha de Produção.

Será  uma oportunidade para desenvolver uma nova indústria associada ao petróleo e gás no Rio de Janeiro, que atuaria na área de desativação de plataformas e toda o aparato que envolve esse processo. Ele estima que esse setor específico tem a possibilidade de gerar cerca de 50 mil postos de trabalho. Há cerca de 100 embarcações abandonadas na Baía de Guanabara, que demandariam serviços de descomissionamento para dar um fim adequado a esses equipamentos.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of