PESQUISA DA KPMG APONTA POUCOS NEGÓCIOS EM PETRÓLEO E GÁS E O SETOR DE MINERAÇÃO ESTAGANADO

DDDO setor de óleo e gás fechou o primeiro semestre deste ano com 13 operações de fusões e aquisições contra 38 realizadas no mesmo período do ano passado, segundo pesquisa da KPMG. A variação representa uma queda de mais de 65% no número de transações concretizadas por empresas deste setor. Das 13 operações realizadas no primeiro semestre deste ano, quatro foram domésticas, envolvendo apenas empresas brasileiras. O sócio da KPMG, Paulo Guilherme Coimbra, disse que “O setor permaneceu aquecido no ano passado por conta dos leilões que foram realizados. No momento, os investidores estão aguardando a realização das próximas licitações que estão previstas para acontecer nos próximos meses. Pelo número de empresas interessadas no certame, a expectativa é que sejam realizadas várias transações, principalmente, com os novos entrantes estrangeiros

Já o setor de mineração fechou o primeiro semestre deste ano com seis operações de fusões e aquisições contra nove realizadas no mesmo período do ano passado, também segundo a KPMG. A variação representou uma queda de mais de 30% no número de transações concretizadas por empresas deste setor. Das seis operações realizadas no primeiro semestre deste ano, duas foram domésticas, envolvendo apenas empresas brasileiras. Coimbra diz que o setor foi  “Afetado pelos dois eventos recentes, o de Brumadinho e de Mariana. O setor de mineração permanece estagnado. A agenda das empresas do segmento hoje está voltada, principalmente, para a implementação de ações de compliance que garantam o funcionamento 100% dos reservatórios.”

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of