CEARÁ VAI APRESENTAR O SEU CASE NA DISTRIBUIÇÃO DE BIOGÁS EM EVENTO QUE SERÁ REALIZADO EM SÃO PAULO

frrssPara falar sobre o case e as oportunidades do mercado, o presidente da Cegás, Hugo Figueirêdo, vai participar do VI Fórum do Biogás, maior evento do setor na América Latina, para apresentar o que considera um case da empresa que dirige: ela é a primeira e única distribuidora brasileira a injetar gás natural renovável na sua rede de gasodutos, com um volume de 75 mil metros cúbicos diários. A Cegás tem um dos maiores percentuais do mundo de participação de GNR no volume de gás distribuído, de aproximadamente 15%. Em países como a França e o Japão, este índice é inferior a 5%. Na Suécia, o percentual é em torno de 12%. O evento será realizado nos dias 31 de outubro e 1º de novembro em São Paulo. O VI Fórum do Biogás é uma realização da ABiogás, e tem como parceiros institucionais a Associação da Indústria de Cogeração de Energia (Cogen), e da Única, organização da Datagro, e apoio das empresas associadas da ABiogás.

Para Hugo Figueiredo, uma das vantagens do biogás é a sua possibilidade de produção a partir de fontes diversas de matéria orgânica onde ainda não há fornecimento do gás natural, notadamente em regiões do interior do país: “O biogás, com algum tratamento, pode ser transformado em biometano ou gás natural renovável (GNR), atendendo a todas às especificações técnicas do gás natural convencional estabelecidas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Dessa forma, o GNR pode ser utilizado puro ou em mistura com o gás natural convencional nas aplicações em dsssaaque o gás natural é recomendável, seja por eficiência, segurança, comodidade e principalmente sustentabilidade.”

Em abril de 2018, através de uma aliança entre os setores público e privado, o Ceará inaugurou, no Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia (Asmoc), o Gasoduto, a Estação de Transferência e a Planta de Produção de Gás Natural Renovável, empreendimentos realizados por meio da parceria entre a Companhia de Gás do Ceará (Cegás), as Prefeituras de Fortaleza e Caucaia, e a empresa Gás Natural Renovável Fortaleza. O gás é gerado a partir da decomposição de resíduos orgânicos depositados no Aterro, principal destinação de todo o resíduo sólido recolhido em Fortaleza. Para a retirada de metano, a Gás Natural Renovável Fortaleza instalou tubulações que fazem a sucção de todo o biogás da superfície do aterro. O processo de produção de GNR acontece a partir da separação de CO2 do metano e da remoção de contaminantes.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of