A MARINHA AVANÇA NA CONSTRUÇÃO DO SEGUNDO DOS QUATRO SUBMARINOS DA CLASSE RIACHUELO

dddddUma importante etapa da construção do Submarino Humaitá (SBR-2), o segundo dos quatro previstos no Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB),foi concluída pela Marinha do Brasil. Hoje (11), no Complexo Naval de Itaguaí (CNI), o estágio da construção foi apresentado  ao Presidente Jair Bolsonaro. A integração do SBR-2, segundo da Classe Riachuelo, é mais um passo importante no complexo processo de construção do submarino. Na etapa que começa após a integração acontecerá a união definitiva das seções do submarino, o que significa conectar o equivalente a 80 quilômetros de cabos elétricos. Com a integração, será possível realizar a ligação de mais de doze mil trechos de dutos, redes e tubulações que vão garantir uma operação segura do submarino.

O processo de integração do Humaitá começou no dia 17 de abril passado, quando a seção S1 foi transferida da Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM), situada nas proximidades do complexo,  para o Estaleiro de Construção (ESC). Dois meses depois, a Marinha e os técnicos da Itaguaí Construções Navais (ICN) transferiram, para o ESC, as seções S2A, S2B, S3 e S4 do submarino. A operação, que será repetida no processo de construção dos submarinos Tonelero e Angostura, os próximos a serem construídos dentro do cronograma do PROSUB, inclui um trajeto de cerca de cinco quilômetros e a travessia do túnel que une as áreas Norte e Sul do fggfddcomplexo naval.

Uma década depois do início de sua implantação, o PROSUB promoveu uma grande transformação no entorno do Complexo Naval de Itaguaí, com a criação de milhares de empregos e de encomendas às indústrias do Sul do estado do Rio de Janeiro. Um total aproximado de 700 empresas foram incluídas no Programa de Nacionalização, um dos pilares do PROSUB, cerca de 40 delas como fornecedoras de itens e serviços diretamente relacionados à construção dos quatro submarinos com propulsão diesel-elétrica. Trata-se de um avanço tecnológico que coloca o Brasil no seleto grupo de países capazes de construir e operar submarinos.

SAA concretização do Programa vai dotar o Brasil com tecnologia de ponta, fortalecendo diversos setores industriais de importância estratégica para o desenvolvimento econômico do País, além de fomentar a capacitação de profissionais em atividades altamente especializadas. Priorizando a aquisição de componentes fabricados no Brasil para os submarinos, o PROSUB representa um forte incentivo à Base Industrial de Defesa, que engloba os setores de eletrônica, mecânica fina e pesada, eletromecânica, química e da Indústria Naval Brasileira. Neste contexto, o PROSUB está gerando milhares de empregos diretos e indiretos.  O Programa viabiliza a produção de quatro submarinos convencionais e culminará na fabricação do primeiro submarino brasileiro com propulsão nuclear, previsto para estar pronto em 2029.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of