DE OLHO NO MERCADO DE ÓLEO E GÁS, RBNA CONSULT PASSA A CERTIFICAR PROGRAMAS ANTISSUBORNO DE EMPRESAS

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) –

0A RBNA Consult acaba de ser acreditada pelo Inmetro para certificar programas de compliance antissuborno. Dessa forma, a empresa passa a ficar atenta às oportunidades no mercado de petróleo, já que as companhias deste segmento estão cada vez mais preocupadas com a ética nos negócios, em virtude dos acontecimentos recentes. A certificação é feita com base na ISO 37001, norma que busca as melhores práticas de compliance antissuborno. “O setor de óleo e gás foi diretamente afetado por toda essa questão de corrupção. Acho que estamos em uma nova era, onde as empresas estão, realmente, entendendo a importância de prevenir atos de suborno”, afirmou a diretora de certificação da RBNA, Carolina Skinner. “Acreditamos que 2020 será bastante promissor. Já existem muitas empresas implementando esses sistemas para buscar essa certificação”, complementou Carolina.

Quais são as perspectivas a partir desta acreditação do Inmetro?

Essa acreditação é algo que já estávamos buscando desde que a norma saiu. Acreditamos nesse mercado porque é uma tendência. As empresas tendem a buscar a certificação da ISO 37001, porque é uma forma de comprovar o que vêm praticando em termos de antissuborno dentro do ambiente interno.

Nós separamos um departamento de certificação antissuborno, composto por uma equipe de auditores e especialistas, além de analistas da parte mais burocrática.

Poderia eleger alguns dos principais pontos contemplados pela ISO 37001?

Um deles é o comprometimento da alta direção da empresa. É muito importante que o exemplo venha de cima, ou seja, que a alta direção tenha participação grande no sistema antissuborno da empresa. Não só com exemplos, mas também participando das reuniões. É muito importante também que o departamento de compliance tenha uma linguagem muito fácil, que possa ser entendida por toda a empresa, fazendo treinamentos recorrentes e trazendo casos reais, para que as pessoas entendam o que a empresa está buscando com esse sistema antissuborno. Outro ponto importante seria o canal de denúncias. Acho que as empresas precisam de um canal onde os empregados possam reportar possíveis casos de suborno ou comportamentos suspeitos. 

Olhando para o setor de óleo e gás, como as empresas desse segmento estão tratando esse assunto?

O setor de óleo e gás foi diretamente afetado por toda essa questão de corrupção. Acho que estamos em uma nova era, onde as empresas estão, realmente, entendendo a importância de prevenir atos de suborno. Então, no setor de óleo e gás, especificamente, muitas empresas estão buscando esta certificação. E as que não estão buscando, estão se estruturando para, de alguma forma, buscar a certificação. O que vemos nesse momento são as empresas na etapa anterior [à implementação do programa], que é a de estruturação.

Algumas empresas mais robustas já têm programas de compliance, que é algo um pouco além da ISO 37001. Mas, muitas companhias estão se estruturando, pensando na certificação lá na frente.

Então, a ISO 37001 é específica para a questão de suborno?

Exatamente. Ainda não existe uma norma ISO, com reconhecimento internacional, relativa à compliance e que seja certificável. Por isso, muitas empresas entendem que, com a certificação da ISO 37001, conseguem demonstrar que possuem um programa anticorrupção, por mais que seja específico de suborno. Já é um mecanismo de prevenção neste tipo de ato.

Como funciona o processo de certificação?

PlataformaA empresa faz uma solicitação para o organismo, que analisa essa solicitação. Quando a empresa entra em contato, supõe-se que já possua esse programa estruturado.

Algumas empresas entram contato previamente, solicitando um serviço de gap analysis, que é uma auditoria para verificar o atendimento aos requisitos da norma. Depois dessa etapa, ela recebe as não conformidades para se estruturar e receber a certificação. 

Quando estão prontas para a certificação, as empresas entram em contato conosco. Fazemos uma análise de competência e uma auditoria in loco da estrutura, levando em consideração a quantidade de sites e funcionários. Buscamos a comprovação de atendimento aos requisitos normativos da ISO 37001. No final da auditoria, emitimos um relatório, demonstrando os requisitos que estão em conformidade e os que não estão. Apontamos também as oportunidades de melhoria. Depois, a empresa tem um tempo para tratar as não conformidades e as tratativas para resolvê-las. Esse processo passa por um decisor da RBNA Consult, que faz a análise do processo como um todo e define se a empresa está apta ou não a receber o certificado. 

O que muda no volume de negócios de uma empresa que busca a certificação?

O primeiro seria buscar a conformidade com a norma com reconhecimento internacional. Isto tem um grande valor, principalmente para as empresas de óleo e gás. Além disso, o certificado demonstra que a empresa atende aos requisitos da norma. É uma maneira da companhia demonstrar que tem um sistema que funciona. Não é um sistema que foi implementado sem passar por uma análise criteriosa de um organismo.

Pensando em competitividade, começamos a ver algumas empresas que já reconhecem bastante o certificado 37001 como uma maneira de comprovar a existência e eficácia de um sistema antissuborno. E a certificação as livra de uma certa burocracia. A Petrobrás, por exemplo, exige uma série de documentos quando faz a contratação de um fornecedor. Entendemos que esse certificado 37001 possa, de alguma maneira, já demonstrar que as empresas possuem esse sistema, sem necessariamente ter que atender todos aqueles itens contratuais.

A partir da acreditação do Inmetro, como está o ânimo da RBNA Consult com o mercado de óleo e gás?

Bom, acreditamos que 2020 será bastante promissor. Já existem muitas empresas implementando esses sistemas para buscar essa certificação. Entendemos que os próximos anos serão de empresas buscando essa acreditação, para conseguir o reconhecimento internacional do seu sistema antissuborno.

Empresas de todos os portes podem buscar essa certificação?

Sim, de todos os portes. É claro que a onda começa com aquelas empresas que estiveram envolvidas em escândalos anteriores. Então, muitas empresas que fecharam acordos de leniência já estão buscando a ISO 37001. Alguns acordos de leniência até determinam a ISO 37001 como um pré-requisito. As primeiras que estão buscando são essas que têm algum histórico.

A ISO 37001 é bastante abrangente. Não só empresas de grande porte, mas outras também podem. Todas as empresas estão na mesma onda, demonstrando que estão preocupadas com relação ao suborno. 

Ou seja, buscar essa certificação independe do potencial financeiro das empresas?

Sim, porque o valor da certificação varia de acordo com a quantidade de funcionários e o porte da empresa. É algo bastante acessível a todos. 

1
Deixe seu comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
trackback

[…] LEIA A ENTREVISTA COMPLETA NO NOSSO SITE. […]