UMA DAS MELHORES CIDADES DO MUNDO PARA SE VIVER ADOTARÁ PEQUENOS REATORES NUCLEARES EM SUA MATRIZ ENERGÉTICA

SWSWSSaskatchewan, uma das dez províncias do Canadá e considerada como uma das melhores cidades do mundo para se viver,  identificou a redução das emissões de carbono da geração de eletricidade e o desenvolvimento da tecnologia de pequenos reatores modulares (SMR) entre seus objetivos de crescimento. A província poderia ter seu primeiro SMR operacional em meados da década de 2030, de acordo com um planejamento anunciado pelo primeiro-ministro de Saskatchewan, Scott Moe,  que estabelece 30 metas para 2030. Entre elas, a meta-chave de se ter uma população de 1,4 milhão de pessoas, com 100 mil  novos empregos e aumento das exportações em 50%: “Nossa província registrou um crescimento sem precedentes desde 2007 e esse plano prepara o terreno para uma economia forte e inovadora que impulsionará esse crescimento na próxima década. Nosso governo sempre sustentou que o crescimento. Esse crescimento permitirá a capacidade de investir em uma melhor qualidade de vida para as famílias e comunidades de Saskatchewan”.

Embora toda a produção atual de urânio do Canadá venha de Saskatchewan – sua produção de urânio em 2018 foi a segunda maior do mundo para um único país, de dssdsddacordo com a Associação Nuclear Mundial -, a província atualmente não usa energia nuclear. De acordo com o Regulador de Energia do Canadá, cerca de 84% da eletricidade da localidade é produzida a partir de combustíveis fósseis, e o restante a partir de fontes renováveis, principalmente a hidreletricidade, a maior parte é gerada pela SaskPower. O desenvolvimento da geração  com menor emissão de carbono fará parte do plano da SaskPower em avançar, diz o Plano de Crescimento: “O plano atual da SaskPower é reduzir as emissões de carbono em mais de 40% dos níveis de 2005 até 2030. Isso envolverá o aumento da quantidade de eletricidade renovável no mix de geração de Saskatchewan em até 50%,  até 2030.  Mesmo assim 50% ou mais da geração de energia elétrica de Saskatchewan continuaria sendo proveniente de combustíveis fósseis.

A incorporação de energia nuclear através de pequenos reatores modulares (SMRs) no mix de energia de Saskatchewan poderia fornecer à SaskPower a capacidade de gerar até 80% da eletricidade da província através de fontes de emissão zero, quando combinadas com fontes de energia renováveis, diz o documento. Os SMRs são menores e mais adequados para atender às necessidades de energia de Saskatchewan em comparação com os reatores maiores e mais antigos, e podem substituir a geração de energia com carga de base na província e fornecer uma nova fonte de energia livre de emissões de GEE alimentada pelo urânio de Saskatchewan. O primeiro SMR pode estar operacional na província no início e meados de 2030. O plano também estabelece uma meta de aumentar o valor anual das vendas de urânio de Saskatchewan para US$ 2 bilhões até 2030. Para apoiar isso, o governo da província trabalhará com o governo federal para remover barreiras ao acesso ao mercado global e restrições de investimento estrangeiro em urânio.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of