GOVERNADOR DO PARANÁ LIDERA MISSÃO COM EMPRESÁRIOS PARANAENSES EM BUSCA DE PARCERIAS PARA PLANTA DE REGASEIFICAÇÃO

ewweA busca por novos investimentos no setor de gás no Paraná foi a inspiração para o governador Carlos Massa Junior liderar um grupo de empresários numa visita à Espanha para um intercâmbio nas áreas de sustentabilidade, inovação e produção de energia. O grupo conheceu o sistema de regaseificação do Porto de Segunto (Saggas), na cidade de  Valência. O complexo integra o grupo ACS, um dos maiores conglomerados do setor de construção e concessões. O presidente da Compagas, Rafael Lamastra, integrou o grupo que visitou a empresa  e conheceu  detalhes da planta espanhola de regaseificação, infraestrutura considerada fundamental para o setor energético dos espanhóis. A Saggas recebe o gás natural liquefeito (GNL) para a transformação em gás e a posterior introdução à rede de gasoduto da Espanha.

De acordo com Rafael Lamastra, há muitos pontos na questão logística espanhola que podem ser replicados no Paraná. “Cada vez mais o gás ganha importância. Pudemos verificar como é fundamental ter a cadeia agrupada, dentro de um terminal portuário com uma usina termoelétrica ao lado”. Já o governador paranaense disse que “é algo grandioso, infraestrutura que não tem precedentes. O mesmo complexo reúne toda a logística do gás, desde a transformação até a distribuição. Uma nova fonte de energia renovável que é o futuro do Paraná e do Brasil”.

Lamastra reforçou que a Compagas trabalha para ter uma estrutura semelhante no Litoral do Paraná, próximo ao Porto de Paranaguá. Segundo ele, a empresa quer levar gás ao maior número de paranaenses, ampliando até 2022 em 54 quilômetros a rede de distribuição, podendo chegar a 57 mil pessoas atendidas. “O Litoral tem todas as condições de ter algo semelhante a Saggas”.

Carlos Massa Junior lembrou durante o encontro que o Paraná desenvolve ações pioneiras na produção de energia limpa. Citou a parceria da Copel que permitiu colocar em funcionamento a primeira usina do Brasil de produção de biogás a partir do tratamento dos dejetos de suínos. O equipamento está instalado em Entre Rios do Oeste, na Região Oeste do Estado e tem capacidade total de 480 KW, transformando por dia 215 toneladas de um agente poluidor em energia limpa. O investimento da Copel, financiadora do projeto, foi de R$ 17 milhões. Ele ressaltou, também, o projeto de uso de biogás para abastecimento da frota de carros da Itaipu Binacional. A produção é originada do tratamento do resíduo orgânico gerado nos restaurantes internos, de esgoto, de parte da poda da grama e de outros materiais enviados por entidades parceiras. Como subproduto, são produzidos, ainda, 300 mil litros de biofertilizante por mês, que são utilizados como adubo para canteiros e gramados.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of