Megabanner

EQUINOR PREVÊ 1.200 TRABALHADORES EM ATIVIDADES NO CAMPO DE PEREGRINO NO PRÓXIMO ANO

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) –

tristao-1A Equinor está em busca de novos negócios com a cadeia local de fornecedores. Como se sabe, a petroleira se prepara para instalar a nova plataforma de Peregrino, na Bacia de Campos. Por isso, a previsão é de uma grande demanda por diferentes tipos de atividades, conforme afirmou o chefe de Supply Chain da empresa no Brasil, Rafael Tristão. “Além da instalação de flowlines e do hook-up da plataforma C, também ocorrerá um período de alta atividade na unidade de produção, FPSO”, detalhou o executivo. Tristão acrescenta que serão realizados serviços de manutenção, reparo e modificações importantes para a segurança, desempenho e eficiência futura do campo. “Entre janeiro e maio de 2020 é esperado que mais de 1200 trabalhadores estejam simultaneamente envolvidos em diversas atividades”, declarou. Questionado sobre a indústria naval brasileira, Tristão lembra que a Equinor vai executar três grandes projetos até o final da próxima década e que as estratégias de contratação desses empreendimentos “serão decididas ao longo desse período, conforme situação do mercado”.

Para os próximos anos, quais devem ser as principais demandas de produtos ou serviços da Equinor no Brasil?

A Equinor espera investir no Brasil aproximadamente 15 bilhões de dólares até 2030, com metas de aumentar sua produção de 3 a 5 vezes, e com base em seu portfólio atual podendo chegar a 300 a 500 mil barris por dia. Atualmente, quase 90% dos produtos e serviços adquiridos pela Equinor Brasil são de origem nacional ou de fornecedores estabelecidos no país. A maior parte desses produtos e serviços atende as operações de Peregrino, que é o único campo com ativos operados pela Equinor Brasil. Para o próximo ano, o foco da empresa será iniciar as operações da segunda fase de Peregrino, com a instalação da terceira plataforma. Olhando mais para frente, a empresa trabalhará para começar a operar no campo de Carcará no pré-sal, em 2023/2024, além de continuar os esforços para participar da construção de cadeias de valor para o gás e também em energias renováveis.

O senhor pode detalhar quais serão as atividades, especificamente em 2020, onde a Equinor deve demandar a participação da cadeia brasileira de fornecedores?

Em 2020 é esperado um aumento significativo nas atividades do campo de Peregrino com a instalação da terceira plataforma no campo, que aumentará a capacidade de produção do ativo. Entre janeiro e maio de 2020 é esperado que mais de 1200 trabalhadores estejam simultaneamente envolvidos em diversas atividades. Além da instalação de flowlines e do hook-up da plataforma C, também ocorrerá um período de alta atividade na unidade de produção, FPSO. Nesse período, serão realizados serviços de manutenção, reparo e modificações importantes para a segurança, desempenho e eficiência futura do campo. A participação da cadeia fornecedora é fundamental em todos os aspectos dessas atividades, desde a demanda por apoio marítimo até a demanda de produtos e mão de obra qualificada.

Quais são os princípios e características que a Equinor busca nas empresas fornecedoras brasileiras?

A Equinor é uma empresa que tem segurança como prioridade. Além de estar em primeiro lugar na estratégia corporativa, a segurança é o princípio base para que qualquer fornecedor trabalhe para a companhia. Além da segurança, a Equinor está, e espera que os seus fornecedores também estejam, engajada com o desenvolvimento sustentável e a proteção ao meio ambiente. A Equinor acredita fielmente em um mercado íntegro e seguro, além de ter claras expectativas e orientações em relação aos direitos humanos de sua cadeia fornecedora e subfornecedora. Por fim, a empresa acredita na inovação tecnológica, digitalização e nas vantagens de organizações que estimulam a diversidade e a inclusão.

Hoje, a indústria de óleo e gás fala muito em inovação e eficiência. Vocês também pretendem encontrar isso nas empresas brasileiras?

A Equinor Brasil acredita na inovação como forma de desenvolvimento industrial e transformação do negócio. A indústria de energia possui a inovação como seu DNA e é preciso saber aproveitar isso como uma vantagem competitiva nas operações e nos projetos capitais. Uma das portas de entrada dos fornecedores brasileiros na Equinor Brasil é através de soluções inovadoras para transformar o negócio. Soluções inovadoras e tecnológicas para produzir de maneira mais eficiente, com menos emissões de carbono, serão avaliadas e consideradas, assim como iniciativas disruptivas no setor administrativo, como automações de processo e soluções para a cadeia de suprimentos, etc.

O senhor pode nos relatar como tem sido a relação entre a Equinor e a cadeia fornecedora brasileira nos últimos anos? Os resultados estão sendo positivos?

Atualmente quase 90% dos produtos e serviços adquiridos pela Equinor Brasil são de origem nacional ou de fornecedores estabelecidos no país, e o relacionamento com a cadeia fornecedora tem sido positivo. Entendo que o mercado fornecedor passou por um período difícil desde 2014, portanto ainda há oportunidades com relação à qualidade do serviço e prazo dos produtos. Do outro lado, existe chance para maior abertura com relação às especificações do mercado local, melhor planejamento integrado da demanda e uma padronização de uma base de termos e condições em colaboração com a indústria.

Gostaria que o senhor também falasse das expectativas da Equinor em relação à indústria naval brasileira. Os estaleiros nacionais podem, de alguma forma, buscar negócios com a Equinor? Caso sim, quais negócios?

A Equinor Brasil espera executar três grandes projetos até o final da próxima década. As estratégias de contratação desses projetos serão decididas ao longo desse período, conforme situação do mercado. As condições de conteúdo local e especificidades de cada projeto, assim como condições comerciais, padronização, simplificação e sinergias com o portfólio da empresa ditarão as decisões a serem tomadas. A empresa continuará avaliando o mercado no sentido de buscar a melhor alternativa para os projetos do seu portfólio, visando sempre segurança, alto valor e eficiência energética.

3
Deixe seu comentário

avatar
3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
João Labareda Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
trackback

[…] LEIA A ENTREVISTA COMPLETA NO NOSSO SITE. […]

trackback

[…] Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions Alcantara Machado sobre o mercado. Matéria publicada originalmente em PetroNotícias […]

João Labareda
Visitante
João Labareda

Prezada equipe do Petronoticias; Parabéns pela matéria muito bem explorada sob a visão mercadológica em preocupação com o conteúdo e a qualificação local da relação e potencial técnico Brasileiro. Gostaria, se ainda possível for; de uma; digamos assim, “Parte II”, por parte da Simpática Equinor; em poder informar a nossa comunidade técnica e cadeia produtiva, quais as suas metas em 2 anos, objetivo em curtíssimo prazo e estratégia operacional permanente; tanto para o escoamento de suas produções, a saber: Petróleo e Principalmente o Gás; tanto para a bacia de Campos, como para a Bacia de Santos (BM-S-8; Norte Carcará e… Read more »