Megabanner

DEBATES NA COP 25 REVELAM QUE 2,3 MILHÕES DE PESSOAS JÁ TRABALHAM EM ENERGIA SUSTENTÁVEL E EM 2030 SERÃO 20 MILHÕES

zaazazazazzUma discussão sobre parcerias em inovação para alcançar o nono Objetivo de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS 9), realizada na COP25,  mostrou como as várias agências e indústrias da ONU estão trabalhando de maneira cada vez mais colaborativa. A Associação Nuclear Mundial compartilhou sua contribuição ao ODS 9, juntamente com os representantes da COP 25, o Centro e Rede de Tecnologia Climática (CTCN), a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI), a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) e a Organização Marítima Internacional ( OMI). O evento paralelo do sistema COP 25 da ONU para o desenvolvimento sustentável, tem o objetivo  de promover a inovação para a industrialização. Inovação com  baixas emissões por meio de tecnologias digitais, parcerias e novos modelos de negócios,  considerados formas de construir infraestrutura, promover industrialização inclusiva e sustentável e promover a inovação.

Karina Larsen( foto), gerente de conhecimento e comunicação da CTCN, disse que infraestrutura, indústria e inovação são três pilares interconectados que compartilham o mesmo objetivo de serem socialmente inclusivos e ambientalmente sustentáveis em termos de seu desenvolvimento econômico.  Larsen observou que a indústria é responsável por cerca de um terço das emissões globais de gases de efeito estufa (GEE), a principal causa das mudanças climáticas. Ao mesmo tempo, o setor é o SSSS“principal gerador de soluções para mudanças climáticas”,  incluindo tecnologias limpas, modelos inovadores para negócios, instrumentos financeiros e design de mercado.

Andres Landerretche(foto), chefe de conteúdo do Ministério do Meio Ambiente do Chile e coordenador da COP25, disse que o investimento em infraestrutura e inovação é crucial para impulsionar o crescimento e o desenvolvimento econômico: “Com mais da metade da população mundial vivendo agora nas cidades, o transporte de massa e as energias renováveis estão se tornando cada vez mais importantes para o crescimento de novas indústrias e tecnologias de informação e comunicação. O progresso tecnológico também é a chave para encontrar soluções duradouras para os desafios econômicos e ambientais, como a criação de novos empregos e o hghhhhaumento da eficiência energética.  Investir em pesquisa e inovação científica são formas importantes de facilitar o desenvolvimento sustentável. Isso implica afastar-se de combustíveis fósseis, crescimento urbano aleatório e agricultura dependente de petróleo a um novo paradigma de produção de energia descentralizada, aparelhos interconectados e práticas agrícolas menos destrutivas “.

Hoje,  o setor de energia renovável emprega atualmente mais de 2,3 milhões de pessoas em todo o mundo e  pode chegar a 20 milhões em 2030. É verdade que o financiamento para infraestrutura econômica aumentou nos países em desenvolvimento, houve um progresso impressionante na conectividade móvel, mas alguns países ainda estão atrasados e enfrentam sérios desafios ao dobrar a parcela do PIB da indústria de transformação até 2030 de maneira sustentável, enquanto o investimento em pesquisa científica e inovação permanece abaixo do nível global.

 Rose Mwebaza, diretora do CTCN, referiu-se às conversas que teve durante a COP25 sobre a industrialização e o desenvolvimento da África “dentro do contexto de ativos ociosos, porque a narrativa é que a industrialização e o desenvolvimento da África se baseiam em seus recursos naturais, principalmente combustíveis fósseis”. A questão é, ela disse, como a África poderia seguir sua agenda de desenvolvimento sem contribuir para as mudanças climáticas globais.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of