Megabanner

EMPRESÁRIOS DEFENDEM MAIS INVESTIMENTOS PARA FORTALECER ECONOMIA BRASILEIRA EM 2020

Nelson_RomanoO Projeto Perspectivas 2020 traz hoje as opiniões de duas personalidades de setores diferentes. O empresário Nelson Romano (foto principal), ex-presidente da Abemi, e Pedro Khan, Diretor da Aurea, uma empresa fabricante de blindagens para radiações ionizantes, ligada diretamente às evoluções velozes do segmento nuclear da medicina. Ambos trazem opiniões que se complementam, apesar de segmentos diferentes. Romano defende mais oportunidades para empresas brasileiras, especificamente no setor de petróleo e gás. A Aurea aponta a participação de empresas não especializadas no setor sem parâmetros de qualidade e muitos aventureiros que ainda se arriscam em prestar serviços nesta área. Defende novas ofertas de crédito vinculadas à criação de tecnologia nacional. Vamos saber suas opiniões, começando por Nelson Romano.

– Como foram as atividades em 2019. Qual o balanço que o senhor faz ?

– O ano de 2019 representou uma inflexão nos negócios. Ainda tímidos, mas a tendência passou de negativa para positiva. O fundo do poço ficou para trás.

– E qual é a expectativa para este novo ano ?

– Nossa expectativa para 2020 é bastante positiva. As reformas estruturais avançam, a despeito das dificuldades, a redução da participação do estado na economia avança, as mudanças necessárias para um maior sucesso nos leilões foram percebidas e o governo planeja muda-las e como um todo está em processo uma abertura da economia,  que deve trazer benefícios em todos os setores.

– O que gostaria de sugerir para que as coisas possam melhorar agora ?

– No campo óleo e gás, e mais especificamente produção de óleo offshore, a entrada de novos operadores  já trouxe um dinamismo muito maior aos negócios. Entretanto, a participação do estado através da Petrobrás ainda é muito forte e assim será ainda por alguns anos, submetida à legislação vigente. Dessa forma, a coleta da produção onde hoje se aplica massivamente o afretamento levou a uma concentração muito grande praticamente sem chance para  empresas locais.  Um grande benefício ao setor poderá ser obtido com a utilização de processos tais como BOT, ou construção de unidades próprias, processos hoje considerados entre as alternativas existentes.

 foto pedroOuvimos também o diretor da Áurea, Pedro Khan (foto à esquerda), que mostra agora as suas opiniões:

 – Como viu o setor no ano de 2019?

Como empresa fabricante de blindagens para radiações ionizantes, a Aurea viu seu ânimo renovado em 2019 com a melhora gradativa do cenário de crise enfrentado nos anos anteriores e a retomada dos projetos de expansão do setor de medicina nuclear.

– Qual a sua expectativa para 2020?

A expectativa para 2020 é de crescimento, o setor apresenta bons sinais de retomada, as novas terapias no setor de combate ao câncer, as exportações e os projetos na área naval devem puxar a recuperação de maneira positiva. A Aurea como empresa desenvolvedora de tecnologia e materiais para blindagem de radiação ionizante  sai na frente neste momento de retomada.

– O que gostaria de sugerir para seu segmento de negócios fosse mais ativo este ano ?

 O segmento blindagem de radiação ionizante no Brasil ainda é bastante amador. Há dificuldade em se estabelecer no mercado parâmetros mínimos de qualidade e muitos aventureiros ainda se arriscam em prestar serviços nesta área. O desenvolvimento de tecnologia e patentes leva tempo e custa caro, seria muito positivo ver novas ofertas de crédito vinculadas à criação de tecnologia nacional.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of