Megabanner

MAU TEMPO TRANSFERE PARA AMANHÃ REINAUGURAÇÃO DA NOVA ESTAÇÃO BRASILEIRA NA ANTÁRTIDA

1150505Só faltou combinar com São Pedro. Estava tudo pronto para a reinugração da novíssima e beílissima estação brasileira Comandante Ferraz, na Antártida. Tudo pronto, mas o mau tempo não permitiu. Em sua página no Twitter, a  Marinha do Brasil  explicou que as condições meteorológicas impediram o deslocamento da comitiva brasileira de Punta Arenas, no Chile, para a Antartida:   “A cerimônia de reinauguração da Estação Antártica foi adiada. Devido às condições meteorológicas, o deslocamento das autoridades que saem de Punta Arenas para a Antártica não foi possível. A previsão é de que o evento aconteça amanhã (15), em horário a ser confirmado.”  Além do Vice-Presidente Hamilton Mourão e  o Ministro Marcos Pontes, o País será representado pelos ministros da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas; e da Defesa, Fernando Azevedo e Silva. A comitiva brasileira terá ao todo 45 autoridades, militares, pesquisadores e assessores.

Para lembrar, em fevereiro de 2012, a antiga estação sofreu um gravíssimo incêndio que vitimou dois militares de nossa Marinha e foi praticamente toda destruída.   Apoiada pela Petrobrás por meio do Programa Antártico Brasileiro (Proantar) e operada pela Marinha do Brasil, a instalação é destinada a pesquisas ededdcientíficas nas áreas ambiental, meteorológica, biodiversidade e química. O diretor de Transformação Digital e Inovação da Petrobrás, Nicolás Simone, explica que o acordo permite à companhia participar de pesquisas e ter acesso a informações que possibilitam o aprimoramento dos modelos de previsão meteorológica, de ondas e correntes marinhas utilizados pela Petrobrás, diante da sensibilidade da região polar austral às mudanças climáticas globais.

Com a parceria entre Petrobrás, através do  Centro de Pesquisas (Cenpes) e a Marinha, são viabilizadas pesquisas, missões de pesquisadores e equipes para a região, compra de equipamentos para os navios e laboratórios, desenvolvimento de dddddcombustíveis especiais para o ambiente Antártico, entre outras atividades. Nicolás Simone disse que “A parceria com o Proantar existe desde 1987 e durante esse período foi desenvolvido um combustível resistente a temperaturas extremas menores que 40 graus negativos, aprimorado para diminuir o seu impacto ambiental com redução do teor de enxofre e melhora da qualidade de ignição e lubricidade. A estação tem 4,5 mil metros quadrados, 17 laboratórios e pode acomodar até 64 pessoas. A base também conta com um sistema de energia híbrido, voltado para a redução do consumo de diesel e consequente redução de emissões locais de gases de efeito estufa. O sistema complementar ao diesel possui oito geradores de energia eólica e 30 painéis fotovoltaicos.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of