Megabanner

GRUPO AQUAMAR VAI INSTALAR 12 MIL KM DE FIBRAS ÓPTICAS EM RIOS DO NORTE DO BRASIL

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) –

WhatsApp Image 2020-02-10 at 20.29.05A engenharia brasileira vai, mais uma vez, transpor barreiras da natureza e levar o progresso para o país. E destino desta vez é o Norte do Brasil. Um novo projeto, batizado de Jungle Fiber, visa melhorar o fornecimento de internet para a população daquela região. O idealizador é o grupo Aquamar, que vai instalar 12 mil quilômetros de cabos de fibra óptica em rios de diferentes estados, interligando 71 cidades e atingindo cerca de 7 milhões de pessoas. Em entrevista ao Petronotícias, o diretor operacional da empresa, Luiz Paulo Cassiano, revela alguns dos desafios inerentes a uma operação tão complexa, como as correntezas elevadas e visibilidade zero. Os primeiros cabos já estão sendo produzidos na China e devem desembarcar no Brasil no mês de abril. Quando estiver concluído, o projeto chegará às capitais Macapá e Belém, perto do Atlântico, com a chance de possíveis conexões com os cabos internacionais. Também será possível fazer ligações com os países vizinhos da América do Sul.

Quando o projeto Jungle Fiber deve ser executado e qual a previsão de conclusão?

Nós compramos os cabos de uma empresa chinesa. Eles já estão em processo de fabricação. Como são muitos quilômetros de cabo, estamos fazendo os pedidos em partes. Nós pedimos agora 128 km para interligar Belém – Barcarena – Ponta de Pedras – Abaetetuba. A fábrica vai continuar produzindo mais cabos. Serão mais 450 km para chegarmos a Macapá, passando por outras cidades também.

Os 128 quilômetros de cabos devem chegar no final de abril. A confecção deles será concluída no final de fevereiro e seu transporte da China para Manaus deve durar 45 dias. Quando eles chegarem a Manaus, vamos transportá-los do porto para Belém e começar a fazer a instalação. 

Já começamos a fazer os levantamentos hidrográficos, que servirão de base para o lançamento, pois vai estudar os leitos dos rios para determinar a melhor rota de lançamento (preservando a integridade física do cabo), aumentando a segurança, confiabilidade do sistema e diminuindo os riscos com manutenção preventiva e corretiva.

Temos uma previsão de concluir o projeto entre cinco e oito anos.

Como surgiu a ideia de desenvolver este empreendimento?

AQM_4700A ideia surgiu muito com o projeto Amazônia Conectada*. Como somos uma empresa privada, temos condições de acelerar um pouco mais a instalação dos cabos. Futuramente, o cabo da Amazônia Conectada será o backup do nosso projeto. O governo precisa passar primeiro pelos processos licitatórios e isso demanda tempo e recursos. Mas, como somos uma empresa privada, conseguiremos fazer isso muito mais rápido.

Ao todo, serão quantos quilômetros de cabos?

Serão 12 mil quilômetros de cabos, que vão ligar todos os estados da região Norte.

Como está sendo a atuação da Aquamar no projeto Jungle Fiber?

AQM_4954O projeto Jungle Fiber surgiu da necessidade de desenvolver a comunicação do Norte do Brasil por meio da fibra óptica, promovendo integração digital das cidades da Amazônia, disponibilizando uma infraestrutura de telecomunicações (backbone) de alta capacidade, disponibilidade e confiabilidade para região.

Hoje, o grupo Aquamar é composto por três empresas. A primeira é a Aquamar, que é especialista em lançamento de cabos submarinos e mergulho, e que será responsável pelo lançamento, inspeção e proteção do cabo no leito dos rios. Depois, temos a Aquamar Survey, que será responsável pela licença ambiental, licença no centro de hidrografia da Marinha e pelos levantamentos hidrográficos.

E por fim, temos a Aquatelecom, que será responsável pela operação da fibra óptica após a implantação do cabo, oferecendo serviço de transporte de dados para os provedores das cidades locais. Desta forma, o grupo Aquamar tem a solução para a implantação 100% do sistema, garantindo a qualidade do serviço prestado por ter mais de 20 anos de experiência e todo o know how em lançamento de cabos elétricos, ópticos e eletro-ópticos, proteção e operação.

Qual é o principal desafio para fazer a interligação com fibra óptica por meio de rios?

Ilustração mostra a extensão do projeto quando estiver concluído

Ilustração mostra a extensão do projeto quando estiver concluído

Os desafios são diversos e os principais são: correntezas elevadas (em torno de 7 nós, aproximadamente 13km/h); visibilidade zero (tendo que trabalhar por meio do tato); alto índice de piratas (pessoas altamente armadas que assaltam nos rios); garantir a limpeza (troncos, arvores que descem pelos rios) da rota do cabo no momento do lançamento; proteção do cabo contra vandalismo; entre outros.

Que outros projetos do tipo a empresa está desempenhando no momento?

Hoje, a Aquamar está focada em desenvolver seu projeto principal, o Jungle Fiber.

Existem perspectivas de conquistar novos contratos de lançamento de cabos?

Além do Jungle Fiber, a Aquamar está sendo cotada para realizar lançamentos de cabos nacionais e internacionais (nos países do Peru e Bolívia).

A empresa também tem atuação em outros segmentos, como no de lançamento de gasodutos e oleodutos. Poderia falar dos projetos desse tipo em andamento?

A Aquamar trabalhou na implantação do gasoduto Urucu – Manaus, inspecionando a acomodação e calçamento nos rios em que o mesmo passava.

O senhor pode nos falar das perspectivas de negócios com o setor de óleo e gás?

Já fomos cotados para lançamento de cabos eletro-ópticos para plataformas.

* O Projeto Amazônia Conectada foi instituído pelo governo federal em 2015. Seu objetivo é expandir infraestrutura de comunicações e contribuir para as ações do Governo Federal desenvolvidas no âmbito do Programa Nacional de Banda Larga na região Amazônica. A Aquamar também participou desse projeto.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of