Megabanner

PRÉ-SAL IMPULSIONOU O CRESCIMENTO DE 5,4% NA PRODUÇÃO DA PETROBRÁS EM 2019

p-69(4)O pré-sal foi o grande responsável pelos bons resultados operacionais alcançados pela Petrobrás no ano passado. Ao todo, a companhia terminou 2019 com uma média de 2,770 milhões de barris de óleo equivalente (óleo mais gás) por dia, um crescimento de 5,4% na comparação com 2018. Levando em consideração somente o petróleo, a produção na camada já representa 59% do volume total extraído no país, reflexo da entrada de novas plataformas e de avanços tecnológicos.

A produção de petróleo no pré-sal durante o ano passado foi de 1,277 milhões de barris de óleo por dia, um crescimento de 28,4% na comparação com 2018. Isso é resultado do início de operação de novas plataformas no campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos.

Os FPSOs P-67 e P-69 foram decisivos nesse sentido. Segundo a Petrobrás, depois da escalada de produção nessas unidades, a companhia conseguiu registrar um recorde mensal de produção própria de 3,1 milhões de barris de óleo equivalente por dia, em novembro. No mês seguinte, a petroleira apurou outro número histórico – a sua maior produção operada, de 3,8 milhões de barris de óleo equivalente por dia. Ainda em dezembro, a empresa alcançou um novo recorde diário na produção própria: 3,3 milhões de barris de óleo equivalente por dia.

RESULTADO RECORDE NO TRIMESTRE E QUEDA NO PÓS-SAL

No último trimestre de 2019, a produção de óleo e gás da Petrobrás chegou ao patamar de 3,025 milhões de barris de óleo equivalente por dia. Esse número é um novo marco na história da companhia, que rompeu pela primeira vez a barreira de 3 milhões de barris em um trimestre.

Enquanto isso, nos campos do pós-sal, a empresa viu a produção cair 3,7% no últimos três meses do ano passado na comparação com o trimestre anterior. Em relação a 2018, também houve uma redução de 13,7%. O desempenho nessas áreas foi afetado pelo fim do ciclo produtivo das plataformas P-33 e P-37, que serão substituídas por novas unidades da revitalização do campo de Marlim. Além disso, alguns novos poços foram postergados, em função de ajustes nas plantas de processamento das plataformas para enquadramento do teor de óleo egraxas da água descartada.

As duas novas plataformas de Marlim devem entrar em operação em 2022 e 2023, com capacidade de produzir 80 mil barris diários (Marlim 1) e 70 mil barris diários (Marlim 2) de petróleo; além de 7 milhões de m³/dia (Marlim 1) e 4 milhões de m³/dia (Marlim 2) de gás natural.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of